"Filha de Deus" causa revolta ao festejar morte de Mica Ferreira

"Filha de Deus" causa revolta ao festejar morte de Mica Ferreira

Compartilhe esse conteúdo

596a2cbf1d41c80565e73ce5.jpg

Perfil de Patricia Costa (Filha de Deus) sumiu depois do comentário 

Um comentário feito sobre a morte de Micaela Ferreira, 26 anos, vítima de tiroteio em galeria na avenida Ayrton Senna, na quinta-feira, está causando muita revolta.

Uma mulher identificada como "Patrícia Costa (Filha de Deus)", moradora de Campinas, postou declaração comemorando a morte da barbeira, que foi feita de escudo humano após uma tentativa de assalto frustrada. Na postagem - leia nas imagens abaixo - ela se diz defensora da família e alerta para "perigos" existentes atualmente. Ao final, ela faz outra declaração, mais revoltante ainda. O comentário foi feito dentro de uma postagem sobre a morte de "Mica", como era conhecida, no G1 Nacional. 

Ao que parece, o perfil dela na rede e o comentário foram apagados. 

Muitas pessoas fizeram printscreen da declaração e trataram de responder ao comentário preconceituoso que incita a cultura do ódio. 

Kátia Gomes foi uma das que copiou a postagem e respondeu: "Patrícia Costa ( " Filha de Deus "?). Será mesmo filha de Deus um ser humano que deseje a morte de outro porque simplesmente é feliz com uma pessoa do mesmo sexo? Ela fala tanto de pecado, que acabou de cometer o primeiro que foi desejar a morte do irmão, segundo em ficar feliz e satisfeita com uma tragédia dessas, terceiro julgar o próximo.. Alguns pecados em uma só postagem!! Será mesmo que ela pode julgar os outros?" 

E acrescentou: "Afinal, não entendo qual o medo dela. Fala muito em filhos, que os homossexuais influenciam as crianças, essas idiotices todas.. Pois bem, homossexuais não podem influênciar pessoas que já nascem com seu destino traçado, impossível isso. Certamente tem filhos, e certamente está com medo de serem homossexuais, não adianta incentivar o preconceito, falar várias vezes que é pecado, abominar o homossexualismo, se for o destino deles ( se tiver ) nada mudará isso. Então, se não aceita o homossexualismo respeite o próximo pelo menos, ninguém pode julgar ninguém, o único que pode julgar, tirar vidas e dizer se é pecado ou não é Deus, você já deveria saber disso já que é uma " filha de Deus"."

Kimberlly Lira, outra internauta, também fez o prinscreen e rebateu as declarações da "filha de Deus". "Se diz filha de Deus mas ao invés de ser solidária devido ao falecimento da Mika ou espalhar o que tem de melhor no ❤ porque se é uma filha de Deus tem que pelo menos tentar fazer isso. Mas não a criatura decide usar trechos biblícos para disceminar o ódio e a discriminação. Quando vamos aprender que mesmo não concordando com o que o sujeito faz com sua vida devemos respeita-lo? E que isso não o faz pior ou melhor que eu? Se a alma dela por ser quem era seria sebosa e a sua Filha de Deus com esse tipo de atitude é o que?"

José Neto, ator potiguar, que já foi vítima de preconceito e encenou a peça Mulher Monstro também comentou o caso: "Depois não venham me dizer que o espetáculo A Mulher Monstro é uma caricatura da sociedade! Criei a personagem como forma de gritar pras pessoas que esses verdadeiros monstros existem. A sociedade finje que intolerância não existe. Qualquer semelhança não é mera coincidência! SEM Cia de Teatro Vamos denunciar esses monstros da sociedade!"

Nota do editor: O NOVO não concorda com os comentários feitos por Patrícia Costa. E se solidariza com a família, amigos e pessoas que veem na declaração um ataque aos direitos humanos. O NOVO acredita que a melhor forma de combater esse tipo de corportamento é expô-los de maneira que eles sejam combatidos e que prevaleça o respeito à pessoa, independente de qualquer outra coisa.