Através de fotos, leitores do NOVO registram o que Natal significa para eles

Compartilhe esse conteúdo

No dia em que Natal comemora 417 anos de história, o NOVO desafiou os leitores que nos acompanham pelos canais digitais a enviarem registros de uma cidade além dos pontos turísticos clássicos, como o Morro do Careca, a Ponte Newton Navarro ou o Forte dos Reis Magos, por exemplo.

Afinal, quem vive nessa cidade e está na rua todos os dias sabe que é na simplicidade e nos detalhes que se constrói a figura do natalense. As fotos chegaram ao longo de toda a semana pelo NOVOWhats, principal canal de interação e distribuição de notícias do NOVO através do WhatsApp (991133526).
 
Nos registros, paisagens que fogem dos tradicionais cartões postais (que mostram Natal como uma cidade que gira em torno do turismo de suas praias) e que retratam o cotidiano do morador apaixonado que aproveita os momentos do dia a dia para apreciar a beleza da cidade.
 
Desde feiras livres aos vendedores de ginga com tapioca que marcam presença na maioria das praias de Natal, a seleção de fotografias representa o que de melhor encontramos na Cidade do Sol.
 
Canto do Mangue  
 
 
“Na margem do Rio Potengi, a areia alva que contrasta com as águas escuras e o pôr do sol ao fundo, o canto do Mangue nasce com a cidade do Natal, sendo também o primeiro local de colônia de pescadores. Um local simples e pitoresco que representa a história do povo natalense”, segundo o leitor Severino Alves Neto.
 
Ginga com tapioca
 
 
Clássico da cultura gastronômica potiguar, a ginga com tapioca é a principal marca do natalense, na opinião da leitora Sílvia Angélica, porque, além de ser uma iguaria culinária bem característica das praias e do litoral potiguar, também representa a tradição da Redinha, que, segundo ela, é a praia mais linda de Natal. Uma tradição repassada às novas gerações.
 
Feiras livres  
 
 
“As feiras livres de Natal são ambientes que reúnem gente de diferentes classes sociais, são ambientes de uma confraternização velada. Todos estão lá para o mesmo fim, independente de sua conta bancária”, lembra o leitor Rafael Barbosa ao destacar as feiras (do Carrasco, Alecrim, Petrópolis, São José…) como importante marco da cultura natalense.
 
Árvore de Mirassol
 
 
Falar de Natal sem lembrar da memorável Árvore de Natal   é algo que para o leitor Nielsen Lucas está fora de cogitação. “Acho que é um símbolo da cidade pelo fato dela marcar a chegada de uma época especial do ano, que é o Natal. Ela possui uma beleza própria e peculiar, que encanta famílias, embeleza e ilumina ainda mais as noites natalenses”.
 
Ribeira Boêmia 
 
 
Clássico da cultura gastronômica potiguar, a ginga com tapioca é a principal marca do natalense, na opinião da leitora Sílvia Angélica, porque, além de ser uma iguaria culinária bem característica das praias e do litoral potiguar, também representa a tradição da Redinha, que, segundo ela, é a praia mais linda de Natal. Uma tradição repassada às novas gerações. A carga histórica e cultural que a Ribeira  representa para Natal fez com que a leitora Teresa Castro elegesse o bairro como um retrato do natalense.  “Lembra minha infância. Não vivo na região, mas sempre ia com meu pai. Os casarões, ruas e o povo chamam minha atenção  e curiosidade.  Hoje curto o bairro sempre que tem algum evento”.

 

Polícia Civil de São Paulo do Potengi prende homem por latrocínio

Compartilhe esse conteúdo

Uma equipe da polícia civil de São Paulo do Potengi, com o apoio da Polícia Militar, prendeu em flagrante, na tarde desta terça-feira (21), Alexsandro França de Paiva, vulgo “Liga Preta”, 34 anos, por ter assassinado hoje Thaise Nascimento da Silva Martins, 31 anos, no centro de Santa Maria.

No crime, o homem teria entrado na residência da vítima para um roubo, e se deparado com a mesma, que reagiu e foi amarrada e estrangulada com o fio do DVD pelo invasor. Após o homicídio, Alexsandro roubou objetos e eletrônicos da casa, como televisor, celular, liquidificador, ferro de passar, bebedor, dentre outros.

A prisão foi realizada após denúncias acerca do homem, que estava em uma loja de aparelhos celulares tentando desbloquear o celular da vítima. Ele foi preso e autuado pelo crime de latrocínio, sendo encaminhado ao sistema prisional, onde ficará a disposição da Justiça.

Motoristas paralisam no Baldo em protesto ao reajuste salarial atrasado

Compartilhe esse conteúdo

Protestando contra o atraso nos pagamentos dos reajustes salariais, motoristas de algumas empresas de ônibus, juntamente com o Sintro-RN, paralisaram suas atividades em frente ao Viaduto do Baldo na tarde desta terça-feira (21). A informação foi confirmada pelo primeiro-secretário do sindicato, Moises Leite.

Segundo Leite, a paralisação deve durar cerca de 30 minutos, tempo de duração da assembléia que debate o reajuste. Ainda de acordo com o primeiro-secretário, três empresas, que estão com seus pagamentos em dia, não foram paradas. São elas: Conceição, Trampolim e Cidade das Dunas. 

Tiago Iorc ganha boneco em sua homenagem e vira piada nas redes sociais

Compartilhe esse conteúdo

O artista Marcus Baby é conhecido por fazer bonecos de personalidades como atores e cantores. O alvo da vez foi Tiago Iorc. Com o corpo de uma cor e o rosto de outra, a miniatura do cantor virou piada nas redes sociais.

Apesar de ter ficado parecido, o boneco é um pouco estranho e desagradou as pessoas no Twitter. Com o famoso penteado "coque samurai", alguns ainda questionaram se é Tiago Iorc ou Luan Santana.

Rapaz devolve celular perdido ao dono e pede emprego como recompensa

Compartilhe esse conteúdo

Um exemplo de honestidade vem chamando atenção nas redes sociais desde a última segunda-feira, 20. Pablo Júnior, um jovem de 17 anos, encontrou um iPhone 6 em uma festa, e ao invés de pegar o aparelho para si, ou vendê-lo, resolveu ir atrás do dono

"Ele me devolveu e eu quis dar R$ 200,00 para ele, como forma de agradecimento, mas o que ele realmente está procurando é uma vaga de emprego", publicou o dono do celular, Nikolas Soares, em seu Facebook. Junto à postagem, anexou uma imagem com o currículo de Pablo, fazendo um apelo para que o garoto seja contratado.

No currículo, Pablo, 17, diz ter mais de oito anos de experiência, o que indica que ele trabalha desde quando ainda era uma criança.

Reforma da Previdência é necessária e deve haver debate, dizem especialistas

Compartilhe esse conteúdo

Regimes de Previdência precisam ser revistos para se adequar à realidade. No Brasil, a reforma do sistema se faz necessária – diante de intensas mudanças demográficas – e deve ser conduzida de forma transparente. A avaliação é de especialistas em direito previdenciário que participaram hoje (21) de debate promovido pelo programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Especialista em saúde pública e representante brasileiro na Organização Ibero-Americana de Seguridade Social (OISS), o médico Baldur Schubert, destacou que as aposentadorias e pensões são pagas a partir das contribuições feitas pelos trabalhadores da ativa. E a tendência é o aumento do número de beneficiários em detrimento da arrecadação de recursos. “Isso significa um problema cada vez mais sério de déficit para o futuro”, disse.

A advogada e professora de direito previdenciário Cristina Aguiar defendeu o detalhamento do modelo de reforma proposto pelo governo para os trabalhadores. “A população tem que saber o que está sendo tratado. A redação da proposta não é fácil para quem atua na área”, disse Cristina Aguiar, ao destacar que a complexidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que trata da reforma da Previdência, levanta dúvidas até mesmo em grupos de estudo sobre o tema.

Já o advogado e professor de direito previdenciário Alex Sandro Oliveira defendeu alterações na Previdência, mas ressaltou que a reforma não deve ser feita forma apressada. Para Oliveira, as mudanças precisam necessariamente respeitar, por exemplo, diferenças de gênero e diversidades regionais, e ir além dos aspectos previdenciários.

“Tentar entender o que está sendo colocado à mesa é fundamental. Ninguém pode tomar uma decisão, seja para um lado ou para o outro, sem que esteja devidamente esclarecido”, disse o advogado Mauro Hauschild, especialista na área e ex-presidente do Instituto Nacional de Seguridade Social. “Faltou combinar com os russos, como diria Garrincha. Ou seja: faltou combinar com os trabalhadores. Temos que correr atrás para resgatar esse tempo perdido de falta do diálogo. Não tem que ter guerra, briga, nem nada. Tem que haver uma discussão sadia.”

O programa foi o primeiro de uma série de debates que ocorrerão no programa. Além das perguntas dos âncoras do programa - Valter Lima (Brasília), Sula Sevillis (Amazônia), César Facciolli (Rio de Janeiro) e Misslene Ferreira (Alto Solimões), participaram com questionamentos jornalistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e ouvintes.