Histórias e declarações de amor pelos pais

Histórias e declarações de amor pelos pais

Compartilhe esse conteúdo

599057468a8d3601c46c47f9.jpg

Esse aí da foto é o senhor é pai da Michele Aguiar Martins Gomes. Ela nos conta uma história triste mas que um dia pode ser de alegria, de um amor que sabe esperar (Foto: Arquivo pessoal)

Em primeiro lugar, feliz Dia dos Pais! É o que se comemora neste domingo. A edição deste final de semana apresenta histórias enviadas pelos leitores sobre seus pais. O NOVO agradece a quem participou dessa ação e compartilha com todo os leitores essas homenagens, algumas alegres outras tristes; umas mais longas outras mais curtas, mas todas com algo em comum: o amor pela figura paterna. O (s) autor (es) do depoimento escolhido por votação entre os profissionais da redação do NOVO vai participar de uma entrevista na segunda-feira (14) ao vivo, às 18h, na Sodiê Doces, na avenida Prudente de Morais, 1869, Barro Vermelho. 

"Tenho sonhos a realizar e o maior deles é encontrar meu pai"

Michele Aguiar

Me chamo Michele Aguiar Martins Gomes, tenho 43 anos, moro em Ponta Negra - Natal – RN. O que falar do meu pai? Um homem charmoso, elegante, amoroso com a família, saudável, culto e sabe escrever como ninguém, tem o domínio das palavras. Segue a religião budista, adora a natureza e mora em Belém do Pará.

Tudo isso descobri por terceiros.

Sou fruto de um relacionamento do passado, antes do seu atual casamento. Minha vida mudou completamente quando descobri que tenho um pai biológico, em 2008. Foram anos para conseguir registrar em minha certidão de nascimento minha origem...a verdade sobre a minha existência. Hoje, tenho sonhos a realizar e o maior deles é encontrar meu pai.

Dar aquele abraço fraterno e contar como foi minha vida, minhas lutas, conquistas, filhos, viagens... Falar que nada muda nosso passado, mas temos o presente e o futuro para corrigir erros e amar ao próximo. E eu estarei aqui...esperando por você!

Bom...não é uma história feliz, muito pelo contrário...Existe uma rejeição enorme por parte da familia dele. Mas a minha vontade mesmo era fazer um apelo nas redes sociais para tentar quebrar isso. Fazer com que entendam que essa é a nossa história (minha e dele) e não vai mudar...Queria muito poder ter convivido com ele, aprendido muito com ele... Ele é engenheiro civil e tem imobiliária... Por acaso do destino, trabalho como corretora de imóveis há 10 anos já (antes de saber dele). Temos muito em comum, acredito que até mais do que eu saiba... Ele mora em Belém-PA. Outro detalhe...a mãe dele, minha avó Alda, completa esse ano 100 anos. Não consigo mensurar o que sentiria se estivesse com ele nesse dia... Obrigada pela oportunidade de contar minha história...ela é bem longa e dolorosa, por isso optei em resumir.

Um abraço