O sabor Nikkei do restaurante Hamachi

Compartilhe esse conteúdo

A improvável mistura entre duas culturas distantes mais de 15 mil quilômetros uma da outra acaba de chegar a Natal com a tentativa de popularizar um termo que muitos podem nunca ter ouvido falar - ou provar: “Nikkei”. É assim que se chama a fusão entre a leve gastronomia japonesa e a apimentada culinária peruana.
 
A mistura começou especificamente em 1899, quando o Peru recebeu seus primeiros imigrantes japoneses, que chegaram para trabalhar como agricultores nas plantações de açúcar daquele país e não voltaram mais ao Japão, originando, aos poucos, a fusão de iguarias que hoje é uma das tendências do circuito gastronômico europeu.
 
“Em dois meses essa tem sido uma experiência realmente muito positiva para todos nós”, menciona um dos sócios fundadores do Hamachi, restaurante que chega a Natal trazendo essa tendência, o empresário Heitor Almeida, que ao lado de Felipe Fonseca e Tiago Gadelha, levou cerca de cinco meses entre a concepção do projeto e a inauguração do espaço localizado no conjunto Ponta Negra, zona Sul da capital.
 
“Nikkei” é como se chama os descendentes de japoneses nascidos fora do país ou os que vivem no exterior; já “Hamachi”, nome escolhido para o restaurante, surgiu após a pesquisa do grupo de empresários e significa “filhote de atum”, ponto inicial para a criação de toda a identidade visual do novo ambiente gastronômico.
 
“O Combinado Hamachi hoje é o nosso carro chefe, montado com todo o carinho porque realmente é um dos mais pedidos”, assegura Heitor sobre o cardápio que conta ao todo com mais de 60 opções entre entradas frias, quentes e pratos principais.
 
Combinando ingredientes antigos e de alta qualidade para transformar pratos peruanos ao usar sabores e técnicas japonesas, a colorida e exótica culinária Nikkei não é a única opção que pode ser encontrada no menu, pratos individualmente peruanos e japoneses também são opções isoladas para degustação.
 
Para montar o cardápio, a pesquisa em culinária Nikkei levou o grupo de empresários até a cidade de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, onde encontraram o Chef Edu Rejala, que é o responsável por assinar os pratos da cozinha e treinar toda a equipe que se divide em dois grutos: a cozinha quente e a parte responsável apenas pelo preparo dos sushis.
 
“O Edu foi quem criou todo o menu exclusivamente para o Hamachi, mas não está diariamente na cozinha. Suas visitas são mensais para acompanhar o andamento do trabalho”, conta sobre o Chef que mantém seu próprio restaurante Nikkei em Campo Grande.
 
“Foi uma longa pesquisa até acharmos ele e fazermos várias reuniões via Skype, até o dia em que visitamos Campo Grande à convite do Chef para conhecer a sua cozinha”, complementa.
 
Este não é o caso de um restaurante criado pelo seu próprio chef, como explica Heitor, já que todos os três sócios muito embora tenham tido outras experiências anteriores no ramo nunca chegaram a cursar gas-tronomia, por exemplo. 
 
“Todos os três são muito fãs de sushi, e isso foi o que nos uniu a princípio até descobrirmos a excentricidade da cozinha Nikkei e trazermos ela para cá”, explica Heitor, mencionando que as viagens para outras cidades a fim de conhecer as cozinhas Nikkeis espalhadas pelo país se tornou um hábito. A próxima está marcada para esta segunda-feira, com destino a Porto Alegre.
 
Drinks
 
Dividido em dois ambientes - “lounge” e “intimista” – a casa tem capacidade de receber até 115 pessoas, de olho ainda em outro mercado crescente, o de Drinks, cuja pesquisa na especialidade levou o grupo de empresários desta vez até a capital pernambucana.
 
O nome recrutado para assinar a carta de Drink do local é o do mixologista recifense Márcio Felipe que preparou desde opções mais clássicas até as mais exóticas do Peru. 
 
“A questão de Drink hoje também é uma crescente no circuito gastronômico brasileiro, e a parceria com o Márcio deu tão certo que ele topou se mudar para Natal e comandar diretamente os Drinks do Hamachi”, conta.
 
Com funcionamento de segunda a segunda, sempre das 18h às 00h, Heitor diz ainda que muito embora a combinação seja bem exótica não difere muito de uma cozinha tradicional. 
 
“Mas para compor a identidade visual do restaurante nós encomendamos pratos de cerâmica produzidos aqui mesmo no Brasil e só servimos neles”, ilustra.
Já os temperos, Heitor comenta que podem ser achados quase inteiramente em solo potiguar, direto com fornecedores, mas que mesmo assim alguns toques da cozinha oriental precisam ser importados. 
 
“São duas cozinhas muito ricas. O Peru, por exemplo, tem pratos muito montados em cima de batata doce, milho e pimenta, como a Aji Amarillo, bastante utilizada em vários pratos, incluindo a variação de “Cheviche” que temos, hoje em dia um dos pratos peruanos mais populares do mundo”, conclui sobre o restaurante localizado na Avenida Praia de Ponta Negra, após o Praia Shopping.

Polícia Civil de São Paulo do Potengi prende homem por latrocínio

Compartilhe esse conteúdo

Uma equipe da polícia civil de São Paulo do Potengi, com o apoio da Polícia Militar, prendeu em flagrante, na tarde desta terça-feira (21), Alexsandro França de Paiva, vulgo “Liga Preta”, 34 anos, por ter assassinado hoje Thaise Nascimento da Silva Martins, 31 anos, no centro de Santa Maria.

No crime, o homem teria entrado na residência da vítima para um roubo, e se deparado com a mesma, que reagiu e foi amarrada e estrangulada com o fio do DVD pelo invasor. Após o homicídio, Alexsandro roubou objetos e eletrônicos da casa, como televisor, celular, liquidificador, ferro de passar, bebedor, dentre outros.

A prisão foi realizada após denúncias acerca do homem, que estava em uma loja de aparelhos celulares tentando desbloquear o celular da vítima. Ele foi preso e autuado pelo crime de latrocínio, sendo encaminhado ao sistema prisional, onde ficará a disposição da Justiça.

Motoristas paralisam no Baldo em protesto ao reajuste salarial atrasado

Compartilhe esse conteúdo

Protestando contra o atraso nos pagamentos dos reajustes salariais, motoristas de algumas empresas de ônibus, juntamente com o Sintro-RN, paralisaram suas atividades em frente ao Viaduto do Baldo na tarde desta terça-feira (21). A informação foi confirmada pelo primeiro-secretário do sindicato, Moises Leite.

Segundo Leite, a paralisação deve durar cerca de 30 minutos, tempo de duração da assembléia que debate o reajuste. Ainda de acordo com o primeiro-secretário, três empresas, que estão com seus pagamentos em dia, não foram paradas. São elas: Conceição, Trampolim e Cidade das Dunas. 

Tiago Iorc ganha boneco em sua homenagem e vira piada nas redes sociais

Compartilhe esse conteúdo

O artista Marcus Baby é conhecido por fazer bonecos de personalidades como atores e cantores. O alvo da vez foi Tiago Iorc. Com o corpo de uma cor e o rosto de outra, a miniatura do cantor virou piada nas redes sociais.

Apesar de ter ficado parecido, o boneco é um pouco estranho e desagradou as pessoas no Twitter. Com o famoso penteado "coque samurai", alguns ainda questionaram se é Tiago Iorc ou Luan Santana.

Rapaz devolve celular perdido ao dono e pede emprego como recompensa

Compartilhe esse conteúdo

Um exemplo de honestidade vem chamando atenção nas redes sociais desde a última segunda-feira, 20. Pablo Júnior, um jovem de 17 anos, encontrou um iPhone 6 em uma festa, e ao invés de pegar o aparelho para si, ou vendê-lo, resolveu ir atrás do dono

"Ele me devolveu e eu quis dar R$ 200,00 para ele, como forma de agradecimento, mas o que ele realmente está procurando é uma vaga de emprego", publicou o dono do celular, Nikolas Soares, em seu Facebook. Junto à postagem, anexou uma imagem com o currículo de Pablo, fazendo um apelo para que o garoto seja contratado.

No currículo, Pablo, 17, diz ter mais de oito anos de experiência, o que indica que ele trabalha desde quando ainda era uma criança.

Reforma da Previdência é necessária e deve haver debate, dizem especialistas

Compartilhe esse conteúdo

Regimes de Previdência precisam ser revistos para se adequar à realidade. No Brasil, a reforma do sistema se faz necessária – diante de intensas mudanças demográficas – e deve ser conduzida de forma transparente. A avaliação é de especialistas em direito previdenciário que participaram hoje (21) de debate promovido pelo programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Especialista em saúde pública e representante brasileiro na Organização Ibero-Americana de Seguridade Social (OISS), o médico Baldur Schubert, destacou que as aposentadorias e pensões são pagas a partir das contribuições feitas pelos trabalhadores da ativa. E a tendência é o aumento do número de beneficiários em detrimento da arrecadação de recursos. “Isso significa um problema cada vez mais sério de déficit para o futuro”, disse.

A advogada e professora de direito previdenciário Cristina Aguiar defendeu o detalhamento do modelo de reforma proposto pelo governo para os trabalhadores. “A população tem que saber o que está sendo tratado. A redação da proposta não é fácil para quem atua na área”, disse Cristina Aguiar, ao destacar que a complexidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que trata da reforma da Previdência, levanta dúvidas até mesmo em grupos de estudo sobre o tema.

Já o advogado e professor de direito previdenciário Alex Sandro Oliveira defendeu alterações na Previdência, mas ressaltou que a reforma não deve ser feita forma apressada. Para Oliveira, as mudanças precisam necessariamente respeitar, por exemplo, diferenças de gênero e diversidades regionais, e ir além dos aspectos previdenciários.

“Tentar entender o que está sendo colocado à mesa é fundamental. Ninguém pode tomar uma decisão, seja para um lado ou para o outro, sem que esteja devidamente esclarecido”, disse o advogado Mauro Hauschild, especialista na área e ex-presidente do Instituto Nacional de Seguridade Social. “Faltou combinar com os russos, como diria Garrincha. Ou seja: faltou combinar com os trabalhadores. Temos que correr atrás para resgatar esse tempo perdido de falta do diálogo. Não tem que ter guerra, briga, nem nada. Tem que haver uma discussão sadia.”

O programa foi o primeiro de uma série de debates que ocorrerão no programa. Além das perguntas dos âncoras do programa - Valter Lima (Brasília), Sula Sevillis (Amazônia), César Facciolli (Rio de Janeiro) e Misslene Ferreira (Alto Solimões), participaram com questionamentos jornalistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e ouvintes.