Pesquisa da UFRN contabiliza a flora do Parque da Cidade

Pesquisa da UFRN contabiliza a flora do Parque da Cidade

Compartilhe esse conteúdo

O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, na zona Oeste de Natal, recebeu atualização do levantamento florístico. Os resultados do estudo – realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) – foram divulgados esta semana. O novo relatório assinala que existem 269 espécies da flora nativa, que estão distribuídas em 71 famílias e 201 gêneros.
 
O resultado do estudo aponta para um aumento 43% de novas descobertas vegetais, ao se comparar com o resultado do primeiro levantamento florístico de 2007, quando foram registradas 187 plantas. Ou seja, foram encontradas 82 novas espécies da flora na região.
 
Os pesquisadores da UFRN analisaram a flora nativa ao longo dos 136 hectares da reserva do Parque da Cidade. O levantamento coletou informações para a Unidade de Conservação do Município de Natal. “O primeiro levantamento foi realizado em 2007 por ocasião da abertura do Parque da Cidade e, na época, catalogamos 187 espécies para fazer o Plano de Manejo”, esclarece Uilton Campos, chefe do Setor de Manejo Ambiental do Parque da Cidade.
 
A pesquisa descobriu ainda que, hoje, em toda a extensão do Parque da Cidade, cinco espécies estão ameaçadas de extinção. São elas: Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F.Macbr (garapa), Cattleya granulosa Lindl (orquídea-catleya) Cryptanthus zonatus (Vis.) Beer (xinxózinho), Melocactus violaceus Pfeiff (coroa-de-frade) e Paubrasilia echinata Lam (pau-brasil).
 
O estudo foi coordenado pelo botânico Alan de Araújo Roque, em conjunto com os botânicos Ayrthon Weslley Vitorino de Medeiros, Camila de Paula Chagas Gomes, Pedro Henrique Pierote de Sousa, Pedro Bernardo da Silva Junior, Poliana Lopes da Costa. 
 
“Apresentamos os resultados de um ano de pesquisa. Eles estão sendo discutidos e serão submetidos à revista científica. Todos os dados foram detalhadamente trabalhados para que pudéssemos entregar uma listagem mais atualizada possível. Ela passou pelas mãos de especialistas de todo o Brasil, assim como pelo nosso cuidado em compor uma listagem limpa e atual”, revela Alan Roque.
 
Segundo o relatório da equipe pesquisadora, as coletas em campo ocorreram entre maio de 2015 e julho de 2016. O material foi coletado tanto ao longo das trilhas existentes no Parque, como também em excursões aleatórias para que toda a área fosse contemplada. Todo o material foi depositado no herbário da UFRN e as duplicatas foram encaminhadas para herbários brasileiros de diferentes regiões.
 
De acordo com o Plano de Manejo do Parque da Cidade, a vegetação nativa ocupa 52% da Zona de Proteção Ambiental - 01 (ZPA-01), onde o Parque da Cidade está inserido, compreendendo os seguintes tipos: Floresta Estacional Semidecidual, Restingas Arbustivas Densas e Esparsas e Savana Arborizada. 
 
“Gostaríamos de reforçar a necessidade de pesquisas científicas constantes na área do Parque. O Parque é uma pérola de nossa cidade, deve ser estudado e preservado. Apenas conhecendo, sabendo da existência, é que poderemos cuidar devidamente da biodiversidade”, pontua Alan Roque.
 
Para a equipe do Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, o estudo será uma ferramenta útil para estudantes, pesquisadores e para a sociedade em geral, evidenciando a diversidade de plantas encontradas no local. “Esta pesquisa é muito importante para o trabalho das equipes de manejo e de educação ambiental do Parque da Cidade. Podemos conhecer melhor a flora existente e cuidar mais ainda da sua biodiversidade desta reserva da mata atlântica”, garante o gestor do Parque da Cidade, Carlos da Hora.