Potiguar é aprovada para Comissão Interamericana de Direito Humanos

Potiguar é aprovada para Comissão Interamericana de Direito Humanos

Compartilhe esse conteúdo

A potiguar Carolina Beghelli, de 22 anos, aluna do 9º período do curso de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte foi a única mulher e a única do Rio Grande do Norte a ser aprovada como estagiária na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, órgão de justiça internacional vinculado à Organização dos Estados Americanos sediado em Washington D.C., nos Estados Unidos. Além dela, apenas três brasileiros foram selecionados para a experiência.

A estudante soube da notícia há cerca de uma semana e deve iniciar os seus trabalhos no órgão no dia 8 de setembro. Mas, apesar de viver o sonho de ser aprovada numa organização internacional mundialmente reconhecida e respeitada, ela busca agora apoio para conseguir manter-se fora do país durante o período de três meses. O programa de estágio não apresenta nenhum tipo de remuneração, sendo inteiramente de sua responsabilidade o custeio do transporte, alimentação e moradia.

Em virtude dos recentes cortes de recursos nas Universidades de todo o país, Carolina vem enfrentando dificuldades para ser contemplada com os editais de ajuda de custo da UFRN. Porém, a jovem não desanimou e já vendeu inclusive o carro para comprar as passagens, mas ainda não é o suficiente. Para isso, ela busca qualquer tipo de auxílio financeiro. “É uma oportunidade única na vida profissional de qualquer pessoa. Somado ao fato de que estarei representado o RN, podendo aplicar os conhecimentos adquiridos nos programas de Direito Internacional existentes aqui no Estado”, destacou Carolina.

Ela falou ainda sobre o papel que irá desempenhar na Comissão. “Enquanto estiver em Washington, terei a grandiosa chance de aprender com o curso de formação oferecido diretamente pela Organização dos Estados Americanos, trabalharei com casos concretos de Direito Internacional dos Direitos Humanos em pareceres jurídicos aos países membros da Organização e atenderei às vítimas de violações e participarei de audiências da Comissão Interamericana de Direitos Humanos”.

Quem quiser contribuir poderá fazer pela conta da Caixa Econômica Federal, em nome de Juliana Santos de Carvalho, Agência 0633, Conta Corrente 21586-4, Operação 001. Para mais informações, entrar em contato pelo telefone (84) 99138-9797.