Zeca Pagodinho convoca corrente de orações para o parceiro Arlindo Cruz

Compartilhe esse conteúdo

O cantor Zeca Pagodinho usou suas redes sociais para pedir aos seus fãs que façam uma corrente de orações para tentar ajudar seu amigo pessoal, o sambista Arlindo Cruz, que entrou em um coma induzido após sofrer um AVC na última sexta-feira, 17.

"Olá gente, estou aqui convocando todos os amigos, fãs, parceiros, enfim, todo mundo do Brasil para às seis horas da tarde a gente entrar numa corrente para rezar para o meu parceiro Arlindo Cruz, que está um pouquinho doente, e a gente pedir a Deus que ele melhore. Às seis da tarde, todo mundo com pensamento positivo pelo meu compadre Arlindo Cruz", pediu Zeca.

Veja trechos da carta que o servidor Guilherme Wanderley escreveu aos procuradores

Compartilhe esse conteúdo

Em carta entregue ao procurador-geral de Justiça por volta das 11h30 antes de efetuar disparos que atingiu dois membros do Ministério Público do Rio Grande do Norte, o servidor Guilherme Wanderley Lopes da Silva dá pistas de sua premeditação do crime. Ele se entregou ontem na 5ª DP, mais de 24 horas depois de ter cometido o atentado contra a vida dos promotores.

Na carta ao procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis Lima e ao procurador-geral adjunto Jovino Pereira da Costa Sobrinho que ele entregou em mãos a Rinaldo, na sexta-feira passada momentos antes de fazer os disparos, Wanderley deixou, por escrito, pedidos de exoneração de ambos sui generis, de ambos os procuradores, onde há campos para a data e assinaturas de suas vítimas.

Na ação criminosa, foram baleados o procurador-geral adjunto de Justiça, Jovino Pereira da Costa Sobrinho, e o promotor Wendell Bethoven, que estão internados em situação estável, segundo a assessoria do Ministério Público. Ele foram cirurgiados no hospital Walfredo Gurgel e depois transferidos para hospitais particulares.

No texto enderaçado a Rinaldo Reis, a quem se refere como "vulgo Ruinaldo", o ex-assessor do Ministério Público, exonerado dessa função no Diário Oficial deste sábado (25).

Wanderley inicia a "Carta a todos que compõem este Ministério Público e ao povo brasileiro" dizendo que não conseguirá ser breve mas que vai encurtar o texto o "máximo que puder".

Sobre Rinaldo Reis ele diz: "Hoje aconteceu o 'impeachment qualificado' (pelo menos) do Prucurador-Geral de Justiça e do Procurador-Geral Adjunto".

no item 1 da carta, ele escreve "Por que matar Rinaldo, Jovino e Wendell? Ora, o motivo é intuitivo: legítima defesa sui generis própria e alheia. Alguém precisava fazer algo efetivo e dar uma resposta a esse genuíno crime organizado.

Leia trechos sobre Rinaldo Reis:

"Notem que, o impeachment convencional não seria possível, tendo em vista que Rinaldo sabia se articular muito bem e, relembrando a eleição, conseguiu 132 votos a favor e 82 contra e, como consequência, logrou êxito na candidatura do citado cargo. E não parou por aí, a maioria da Assembléia Legislativa está com ele". O Tribunal de Justiça está meio em cima do muro".

"A eleição de Rinaldo e sua gangue foi uma das maiores decepções da minha vida..."

A proposta de Rinaldo de melhorias salariais e de benefícios para os membros foi decisiva e suficiente para estes deixaram-se vendar e vender..."

"Na verdade, desde abril de 2013, foi o epicentro, pois, nesse ano, foi engendrado meu plano infalível para destronar esse déspota mais ou menos esclarecido e alguns de seus capangas..."

"O déspota conquistou muito adeptos, grandes homens mas que foram corrompidos ou, no mínimo, indiferentes..."

"O homem, em geral, prefere a perseguição e, no caso dele isso ganha contornos ainda mais repugnantes, pois significa descumprir as leis e inúmeros princípios de direito administrativo por quem deveria ser fiscal da lei. "

"O RR (Rinaldo Reis Pilatos), apesar de idolatrar conflitos, não entende nem mesmo de regras básicas do ofício da guerra..."

"Ele inspira tremenda má influência..."

No item 3,, "Quem é Rinaldo Reis de Lima?" ele começa assim: "Não sei ao certo, nem ele sabe. Trata-se de um homem sujo, perseguidor, egoísta, articulador, saqueador, descumpridor das leis e princípios que nos são muito valorosos."

"Ele usa tudo que tem e até o que não tem. Utiliza-se de escutas telefônicas clandestinas."

O aniversário de Rinaldo é dia 19/07/2016. Curiosamente, o signo é câncer... Ele é a personificação do c}ancer. Uma chaga que precisa ser eliminada."

"Um lobo na pele de cordeiro."

Promotores passam bem após cirurgias, diz Walfredo Gurgel

Compartilhe esse conteúdo

No final da tarde desta sexta-feira (24), o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel divulgou um boletim atualizado sobre a situação de saúde dos dois membros do Ministério Público Estadual (MPRN) atingidos nesta manhã por disparos de arma de fogo dentro da Procuradoria Geral de Justiça: o procurador geral adjunto Jovino Pereira, e o promotor de justiça Wendell Beethoven.

O boletim foi repassado pela assessoria de imprensa da unidade de saúde. As duas vítimas passam bem e se recuperam após passarem por cirurgias.

O procurador geral adjunto Jovino Pereira foi atingido no abdômen e o primeiro atendido, já que foi levado às pressas ao hospital em um carro oficial do próprio MP.

Ele passou por uma laparotomia exploradora – uma incisão feita no abdômen –, nesta tarde. Após sair do Centro Cirúrgico, o procurador foi para o Centro de Recuperação Pós-operatória (CRO).

Já Beethoven levou um tiro nas costas e chegou com um quadro de hemorragia. Ele passou por um pneumotórax e foi submetido a uma drenagem, no Centro Cirúrgico, em procedimento terminado no final da tarde. Ele deverá, a pedido da família, para um hospital particular.

“Ambos estão bem e conscientes. Os procedimentos foram um sucesso; agora é esperar o pós-cirúrgico e ver como eles se comportam nas próximas 48 horas”, diz a atualização repassada pelo Walfredo Gurgel.

São Gonçalo do Amarante se prepara para festa da canonização

Compartilhe esse conteúdo

O anúncio da canonização do camponês Mateus Moreira que, segundo relatos históricos teve o coração arrancado pelas costas por soldados holandeses, surpreendeu o município de São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Natal.

A cidade, que tem hoje aproximadamente 100 mil habitantes, está em festa. O vice-prefeito, Eraldo Paiva (PT), descreveu a canonização como um presente para os munícipes. "Nós temos o principal monumento aos mártires e vamos preparar a cidade para o grande dia da canonização." A expectativa dele é de que a cerimônia ocorra no mesmo dia dedicado aos novos santos, 3 de outubro, feriado no Rio Grande do Norte.

A aposentada Marleide Raimundo da Silva não conteve a emoção ao saber que Mateus Moreira será proclamado santo pelo Vaticano. "Sou muito devota, talvez por ter, como ele, origem no campo."

Ao longo dos anos, os massacres de Cunhaú e Uruaçu foram contados de pai para filho e registrados por romanceiros populares, como dona Militana Salustino do Nascimento, antiga moradora de São Gonçalo do Amarante, e pelo etnógrafo Luís da Câmara Cascudo.

Ex-ministro da Justiça de Dilma pede discussão sobre liberação de drogas

Compartilhe esse conteúdo

Em uma palestra em que criticou a "cultura do encarceramento" e apontou problemas do sistema prisional nacional, o ex-ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União José Eduardo Cardozo afirmou que o país precisa "caminhar para a ideia da liberação das drogas".

"Eu tenho uma visão pessoal de que nós temos que caminhar, sim, para a ideia da liberação das drogas, mas dentro daquilo que a cultura do povo admite, com muita transparência, com muita discussão, sem dogmas e sem preconceitos", afirmou o ex-ministro em um debate no Centro Universitário de Brasília nesta sexta-feira, 24.

Na opinião de Cardozo, é preciso de estudos e de análise de experiências de outros países, como o Uruguai, que legalizou a maconha. "Não é baixar um decreto. Nós temos que discutir", disse o ministro. Uma das justificativas do ex-ministro é a de que a "guerra às drogas" falhou. Essa expressão é utilizada para se referir às ações tomadas pelo Estado para reprimir completamente o uso e a circulação de drogas.

Ele aponta que um dos resultados dessa política é o aumento incontrolável da quantidade de presos. Em outra frente, aponta que a proibição às drogas alimenta o narcotráfico. "Nós vamos continuar de uma forma estúpida não refletindo?", indagou o advogado. Cardozo nunca defendeu essa discussão nos cinco anos em que foi ministro da Justiça sob a presidência de Dilma Rousseff (PT), entre 2011 e 2016. A explicação que deu é que "o ministro fala em nome do Estado, e há que ter cuidado quando se fala em nome de Estado".

Relacionando a crise carcerária e a questão das drogas, o ex-ministro criticou a falta de clareza na distinção entre o usuário e traficante, apontando que este é um dos motivos para o encarceramento em massa. "Não há um limite muito claro para ver qual é a quantidade que alguém deve portar que pode servir como indicador para a definição se ele é traficante ou usuário. Alguns países têm essa referência. Nós não temos no Brasil", disse.

Como resultado, segundo ele, "os operadores do direito forçam a barra para colocar atrás das grades usuários dizendo que são traficantes". Entre o alto número de presos e o déficit de vagas, o ex-ministro afirma que não há como o orçamento viabilizar a construção de vagas a tal ponto que englobe a demanda atual. É preciso prender menos, segundo ele.

"Usuário de drogas não se sanciona. Ele tem que ser tratado pela saúde pública. O usuário de drogas é dependente e tem que ser tratado por médico, tem que ter reinserção social, e não é atrás das grades que vai ter nem médico nem ter reinserção social. Então essa cultura do aprisionamento, que também se projeta pelo tráfico de drogas quando a pessoa é usuária, é alarmante", disse, destacando que a situação é grave entre a população feminina e que grandes traficantes não são aprisionados.

Afirmando que o custo médio de um preso é "alarmante", Cardozo disse que "é melhor colocar um preso e por numa escola na Suíça do que deixar num presídio brasileiro". "Qual é a lógica de continuarmos colocando no presídio pessoas que não precisam ser presas e colocando presos provisórios como forma de aplacar a ira social, não percebendo a consequência para a própria sociedade desse aprisionamento provisório?"

Facções

Cardozo disse que "o maior problema de segurança pública que temos no Brasil hoje é o das organizações criminosas". Segundo o ex-ministro, o grau de sofisticação é tal que as organizações "corrompem autoridades de todos os poderes". "É sabido de situações em que estudantes de direito são cooptados para prestarem concurso para magistratura e fazerem sua carreira lá. É sabido que fazem concurso para o Ministério Público, para serem braços instrumentais das organizações nessas instituições. É sabido de organizações criminosas que diretamente ou através de empresas de fachada financiam campanhas eleitorais para terem seus braços no parlamento. Ora, é insustentável essa situação", disse.

Afirmou que as pessoas são cooptadas facilmente: "basta que a pessoa entre no presídio e, quando veja a possibilidade de a violência chegar a ele, alguém lhe diz que, se quiser se proteger, deve se filiar".

Como animal

Cardozo reafirmou uma declaração polêmica, que deu em 2012, de que preferiria morrer a cumprir pena em presídios brasileiros. Ele afirmou que precisava lançar atenção sobre a crise penitenciária. "Ou nós colocamos à luz do sol os problemas do sistema prisional brasileiro ou nós continuaremos a ter os problemas de violação aos direitos humanos imensos que temos e os problemas de segurança pública que nós temos", disse nesta sexta-feira.

"Em larga medida é o sistema prisional brasileiro o responsável pela violência que nós temos nas ruas", afirmou o ex-ministro. "E ou nós todos nos damos conta disso e paramos de ser hipócritas e esconder a realidade que deve ser vista e transformada, ou nós não solucionaremos este problema."

Ele disse também que aprisionar não ajuda a reduzir o número de delitos nem ajuda a recuperar os presos e reinseri-los na sociedade. Citou as péssimas condições nos presídios, disse que é inevitável, para muitos presos, filiar-se a organizações criminosas e disse que há um "potencial de violência" nos presídios.

"Muita gente fala que são presos, não são pessoas boas. Senhores! São seres humanos. Independentemente dos delitos que praticaram ou não, ser humano tem que ser tratado como ser humano. Porque ser humano que não é tratado como ser humano age como animal", disse.

Contato

Cantor Arlindo Cruz acorda do coma após uma semana internado

Compartilhe esse conteúdo

Arlindo Neto, filho do sambista Arlindo Cruz, confirmou nas redes sociais nesta quinta-feira, 24, que o pai acordou. "Arlindão acordou, minha mãe pediu para ele abrir a boca e ele malandramente obedeceu a sua esposa. Obrigado por mais essa bênção, Senhor", escreveu ele. De acordo com boletim médico divulgado na última terça-feira, 22, o músico estava sedado, mas aos poucos, com a redução do medicamento, apresentou alguns sinais de consciência.

Os médicos ainda informaram que o estado de saúde continua grave, porém estável, e que o processo de redução do sedativo ocorre de forma cautelosa e de acordo com planejamento terapêutico. O artista passou mal em sua casa na última sexta-feira, 17, e foi resgatado pelos Bombeiros.