NOVO traz a segunda parte com a retrospectiva da cultura potiguar em 2017

NOVO traz a segunda parte com a retrospectiva da cultura potiguar em 2017

Compartilhe esse conteúdo

Após destacar o teatro, a música e a literatura na primeira parte da nossa lista publicada no domingo passado, o NOVO continua a elencar os 25 motivos para se orgulhar da cena cultural potiguar em 2016. Para finalizar, as áreas destacadas são audiovisual e artes integradas. Vem com a gente! A primeira parte dos destaques pode ser vista aqui.
 

A DANÇA QUE TODOS QUISERAM VER

A DANÇA QUE TODOS QUISERAM VER
A DANÇA QUE TODOS QUISERAM VER
A DANÇA QUE TODOS QUISERAM VER
Provando que não depende exclusivamente de patrocínios para realizar suas ações, a Companhia Artística Giradança reuniu parceiros e amigos espalhados por todo o país para juntos realizar a 4ª edição do festival “Palco Gira Dança” que trouxe a Natal mais de 20 espetáculos em outubro deste ano, incluindo a primeira apresentação em Natal do mais novo espetáculo da própria Cia, “Dança que Ninguém Quer Ver”, que estreou oficialmente ano passado em São Paulo, e desde então rodou por alguns pontos, como Belo Horizonte, Salvador, Petrolina e Garanhuns.
 

UMA SEMENTE NAS ROCAS

UMA SEMENTE NAS ROCAS
UMA SEMENTE NAS ROCAS
UMA SEMENTE NAS ROCAS
Após uma minuciosa reforma orçada em R$ 5 milhões, o antigo prédio da Rede Ferroviária Federal S.A. (Refesa), desde abril deste ano sedia a unidade educacional do IFRN que fez questão de preservar a memória do prédio, a começar pelas salas de aula, todas nomeadas em homenagem a antigos ferroviários. O local onde funcionavam as oficinas de recuperação de locomotivas e vagões, por exemplo, hoje abriga parte do Museu do Trem, auditório e biblioteca. Ao todo a unidade vai atender a mais de 300 alunos regulares em 2017.
 

O ANO DAS WEBSÉRIES

O ANO DAS WEBSÉRIES
O ANO DAS WEBSÉRIES
O ANO DAS WEBSÉRIES
Diversificando o formato de exibição, a cena audiovisual potiguar se uniu em prol do lançamento das primeiras webséries inteiramente produzidas em Natal. Contando a história da triatleta Jéssica (Alice Carvalho), “Septo” estreou em setembro com veiculação de episódios semanalmente pela página “Brasileiríssimos” no Facebook; já “Dalton/Hebe” que narra as aventuras amorosas dos amigos “Dalton” (Mateus Cardoso) e “Hebe” (Quiteria Kelly) chegou ao youtube na semana passada. A expectativa para a segunda temporada de ambas em 2017 é grande.
 

PARABÉNS ABDeC

PARABÉNS ABDeC
PARABÉNS ABDeC
PARABÉNS ABDeC 
A classe audiovisual potiguar se fortaleceu em 2016 principalmente através da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas do Rio Grande do Norte (ABDeC/RN) que pontuou a sua atuação em pelo menos três momentos fundamentais para a cena neste ano: a realização do “I Fórum Audiovisual do RN”, em abril, o Encontro de Realizadores do NE durante o Festival de Cinema de Baía Formosa (FINC) em novembro; e com o lançamento do livro “Claquete Potiguar” em dezembro, reunindo 10 artigos sobre o cenário audiovisual do RN nos últimos 15 anos, um dos primeiros estudos do tipo a ser publicado.
 

OCUPA MINC RN!

OCUPA MINC RN!
OCUPA MINC RN!
OCUPA MINC RN!
Aderindo a um movimento nacional da classe artística que - estarrecida diante da extinção do MinC logo nos primeiros dias de Governo Temer – passou a ocupar diversos prédios ligados ao Ministério em várias cidades do país, os artistas do Rio Grande do Norte promoveram uma das ocupações mais organizadas do país. Ao longo de 30 dias (de 17 de maio a 15 de junho) o prédio do Iphan/RN, localizado no bairro da Ribeira, sediou diversas atividades gratuitas, como ensaios de espetáculos, exibição de filmes, oficinas artísticas, debates, marchas e shows: um momento de intensa troca entre as mais diversas manifestações unidas por um lema maior, #ForaTemer.
 

OI, AURE

OI, AURE
OI, AURE
OI, AURE 
Com mais de 170 mil curtidas no Facebook (até o fechamento desta reportagem), a página “Oi, Aure”, criada pelo ilustrador e jornalista potiguar  Aureliano Medeiros cresceu em 2016 e atingiu ainda mais admiradores em todo o país. O seu personagem autobiográfico diariamente povoou a timeline de muitas pessoas. A postagem com maior envolvimento, na qual Aureliano traz o personagem saudando os amigos que fizeram novos amigos, foi publicada em setembro e até então possui quase 85 mil compartilhamentos, 30 mil curtidas e mais de 7 mil comentários. No instagram seu perfil tem quase18 mil seguidores. 
 

GRAFITE POTIGUAR EM PARIS

GRAFITE POTIGUAR EM PARIS
GRAFITE POTIGUAR EM PARIS
GRAFITE POTIGUAR EM PARIS
2016 também será lembrado como o ano em que dois dos maiores representantes da arte urbana potiguar chegaram até Paris com exposições individuais e coletivas. As cores e traços de “Arbus” e “Kefren Pok” ganharam a cidade luz no segundo semestre. O convite partiu da Associação Franco-Brasileira de Arte Urbana - PIXO, após os dois participarem do “INarteurbana 2015”.
 

A FORÇA DO CINEMA LGBT

A FORÇA DO CINEMA LGBT
A FORÇA DO CINEMA LGBT
A FORÇA DO CINEMA LGBT 
Em circulação por festivais brasileiros, os curtas “Cuscuz Peitinho” e “Ainda Não Lhe Fiz Uma Canção de Amor”, ambos com temática LGBT, foram destaques por onde passaram incluindo o maior festival LGBT da América Latina, o Mix Brasil, realizado em São Paulo, no mês de novembro, onde os dois curtas foram exibidos: “Cuscuz” na Mostra Brasil e “Ainda” na competitiva - dias antes de conquistar no Piauí 4 prêmios no “Encontro de Cinema e Vídeo dos Sertões”, incluindo Melhor Filme e Roteiro.
 

FOTOGRAFANDO AS RAÍZES

FOTOGRAFANDO AS RAÍZES
FOTOGRAFANDO AS RAÍZES
FOTOGRAFANDO AS RAÍZES
Quando os fotógrafos Pedro Medeiros, Paulo Fuga e Vanessa Paula Trigueiro resolveram retornar juntos às suas cidades de origem, respectivamente, Areia Branca, Mossoró e Assú, não imaginavam que a viagem iria percorrer ao todo 16 cidades diferentes pelo interior do estado, por onde realizaram ao longo do trajeto oficinas fotográficas e trocaram experiências com os mais jovens. O resultado da itinerância virou exposição, documentário e vários gigabytes de afeto.
 

EM NOME DO AMOR

EM NOME DO AMOR
EM NOME DO AMOR
EM NOME DO AMOR
A multiartista Civone Medeiros transferiu o seu ateliê pessoal para a Galeria de Artes do SESC/Centro em abril deste ano e fechou 2016 com a exposição mais visitada do espaço. Atraindo mais de 500 pessoas ao longo de um mês, a #LabComVivênciasPoéticasdeAfetos” contou com a colaboração diária do público e também mexeu com as redes sociais.
 
 
- Circulação do espetáculo teatral “Jacy” por todo o  Brasil
- Festival teatral “O Mundo Inteiro é um Palco”
- Reabertura do Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP)
- Resistência do espaço cultural A BOCA Espaço de Teatro, no bairro da Ribeira
- Titina Medeiros, em novela da Rede Globo, em pleno horário nobre
- Plutão Já Foi Planeta no Superstar
- Camarones Orquestra Guitarrística nas Olimpíadas
- Vitrine da música potiguar na página Brasileiríssimos no Facebook
- Grupo “Dó Maior” no The X Factor Brasil
- Ciclo SONORA de compositoras
- Quartas Clássicas
- O livro “100 Discos do Rock Potiguar Para Escutar Sem Precisar Morrer”
- O livro “Fome”, de Márcio Benjamin
- Projeto Geladeiroteca
- A volta de Marize Castro em “A Mesma Fome”
NOVO traz a segunda parte dos principais fatos da cultura potiguar em 2017. Retrospectiva cultural