ABC conseguiu se manter no grupo de elite da Timemania

Compartilhe esse conteúdo

O ABC conseguiu se manter no grupo de elite da Timemania, uma das principais fontes de renda do clube. O Alvinegro foi 20º clube mais marcado na loteria durante todo o ano de 2016 e conseguiu seguir no primeiro grupo – que vai exatamente até a vigésima colocação.

Com isso, o Alvinegro receberá R$1,8 milhão de cota, que poderá abater em dívidas tributárias.

Já o América conseguiu, também, quase no limite, se manter no segundo grupo de apostas. O Alvirrubro é o 38º lugar na Timemania, atrás de clubes como Bangu, Ituano e Gama.

Os clubes que estão no segundo grupo da Timemania têm expectativa de receber R$ 692 mil de cota, cada.

O último sorteio foi realizado na cidade de Picos, no interior do Piauí, no dia 31 de dezembro e teve o Brasiliense como clube sorteado. 

 

Fábio Gama desencanta, ABC vence e confirma vantagem na final do 1º turno

Compartilhe esse conteúdo

O ABC confirmou a primeira posição na tabela na Copa Cidade do Natal. Mesmo com uma equipe completamente reservas - já que já estava classificado para a decisão - o Alvinegro venceu o Alecrim neste sábado na Arena das Dunas por 3 a 2 com dois gols e uma assistência de Fábio Gama, que foi o destaque do confronto. O jogador, que chegou do Gama depois de boas atuações contra os potiguares na Copa do Brasil do ano passado, fez sua melhor partida com a camisa do Elefante. 

O resultado levou o time do técnico Geninho aos 17 pontos na tabela. Assim, a equipe não corre mais riscos de ser alcançada pelo Globo, que tem 11 - e era o único que poderia tirar a liderança. Assim, o ABC fará as finais com a vantagem de atuar por dois resultados iguais. 

Os gols da partida foram marcados por Fábio Gama (2) e Dalberto para o ABC. Já Léo Bahia balançou as redes duas vezes para o Periquito. O camisa 9 do Verdão, inclusive, chegou à artilheria isolada da competição, com 6 gols marcados em 5 jogos.

A vitória foi toda construída no primeiro tempo. O ABC saiu na frente logo aos 6 minutos com um gol de Fábio Gama. O Alecrim empatou a partida poucos minutos depois, aos 13, com Léo Bahia aproveitando escanteio. Mas a vantagem durou pouco.

Aos 19, Fábio Gama cruzou na área e Dalberto colocou o Alvinegro na frente do placar mais uma vez. Já no final da primeira etapa, aos 43, num contra-ataque, Dalberto devolveu o presente e serviu Fábio Gama, que desviou para o fundo das redes.

O Alecrim só conseguiu diminuir aos 39 da segunda etapa, com um bonito gol de Léo Bahia, que deu a ele a artilharia da competição com seis gols.

O Alvinegro agora espera o final da rodada, que acontece neste domingo (19) para saber quem enfrentará na final da competição.

ABC e Alecrim se enfrentam na Arena das Dunas

Compartilhe esse conteúdo

ABC e Alecrim fazem hoje, às 17h, na Arena das Dunas, um clássico sem tanta atenção pela sétima e última rodada da Copa Cidade do Natal. Com o Alvinegro já classificado para a final do turno e o Periquito sem chances de chegar à decisão, a tendência é que o público no estádio seja pequeno. Mas, se na teoria o duelo pode não apresentar pretensão alguma, na prática não é bem assim.
 
Os clubes têm interesse direto na partida. O do Alvinegro é óbvio. Já classificado, o time do técnico Geninho precisa apenas empatar para garantir a primeira colocação no primeiro turno. Assim, terá a vantagem de jogar por dois resultados iguais nas finais. 
 
Essa, inclusive, será a única vantagem do primeiro colocado, que não terá a oportunidade de fazer o segundo jogo “em casa”. As duas partidas da decisão da Copa Cidade do Natal terão mandos da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF).
 
A tabela ainda não detalha onde serão os confrontos, mas a tendência é que os dois jogos aconteçam na Arena das Dunas. As datas, no entanto, já estão definidas: as finais acontecerão no dia 22 de fevereiro e 5 de março.
 
Por isso, o Alvinegro dará atenção à partida. Apesar disso, não deve ter o time titular em campo. A tendência é de que o técnico Geninho utilize um time completamente reserva ou misto. 
Isso porque o ABC tem seguido uma maratona de partidas nos últimos dias e o treinador entende que é o momento de alguns atletas descansarem, já que o time tem a folga de já estar garantido na decisão do turno. O treinador confirmou após o empate com o Ceilândia, pela Copa do Brasil, que fará mudanças.
 
Assim, nomes como os dos zagueiros Cleiton e Léo Fortunato, o lateral Levy, os volantes Anderson Pedra e Guedes e o meia-atacante Erivélton devem ficar de fora do time que entrará em campo. Será oportunidade para o treinador também testar novas opções, como o zagueiro Oswaldo, recém-contratado do Sport, o volante Arês e o atacante Dalberto.
 
Se o ABC perder, o time só pode ser ultrapassado pelo Globo de Ceará-Mirim, que enfrenta o Baraúnas, no estádio Barrettão, em jogo decisivo. As duas equipes duelam entre si - e contra América e Assu pela segunda vaga na final do turno. 
 
Mas para a Águia passar na tabela não basta apenas o Alvinegro sair derrotado. O time do técnico Luizinho Lopes precisaria tirar uma diferença de seis gols de saldo. Atualmente o ABC é líder com 14 pontos e 10 gols de saldo, enquanto o Globo tem 11 pontos e quatro gols de saldo.
 
Apesar de já eliminado neste primeiro turno, o jogo tem caráter de decisão para o Alecrim - até mais do que para o ABC. O time ainda briga diretamente contra o rebaixamento. Hoje, a equipe é a sexta colocada na tabela, com cinco pontos conquistados - três a mais que o lanterna Santa Cruz de Natal e um a mais que o Potiguar de Mossoró.
 
Uma vitória, assim, daria ao Alecrim um conforto maior para chegar ao segundo turno sem tanta pressão. E a equipe vive um momento de recuperação no certame, já que conseguiu a primeira vitória na rodada passada, diante do Santa Cruz de Natal.
 
Desde a saída do técnico Athirson, que perdeu as duas primeiras partidas do certame, Edson Alves, que treinava a equipe sub-19, assumiu o comando e conseguiu pontuar. Nos quatro jogos no comando do time, o Alecrim empatou dois jogos, venceu um e perdeu outro (para o América).
 
Para tentar se afastar ainda mais da zona da degola, o Alecrim precisa de uma missão que ninguém conseguiu até aqui no Estadual: vencer o ABC. O Alvinegro é a única equipe invicta no certame após seis rodadas: acumula quatro vitórias e dois empates.
 
Além disso, tem o melhor ataque e a melhor defesa da competição: marcou 13 gols e sofreu apenas três, assim como o Baraúnas.
 
Se vencer, o Alviverde dá um passo importante para começar o segundo turno mais folgado, já que apenas uma equipe será rebaixada no Campeonato Potiguar, segundo o regulamento. Ao final dos dois turnos, quem marcar menos pontos, cai.
 
 
Santa Cruz x Potiguar
 
Na mesma hora que ABC e Alecrim entram em campo, Potiguar e Santa Cruz duelam no estádio Nogueirão, em Mossoró, no jogo dos lanternas. As equipes não têm mais chances de classificação neste primeiro turno, mas se enfrentam buscando fugir do rebaixamento. Atualmente, o Santa é o último colocado da competição, enquanto o Time Macho é o penúltimo na tabela.
 
O Tricolor de Natal não venceu nenhuma partida até agora no campeonato e acumula apenas dois pontos, enquanto o Potiguar só venceu a primeira rodada e vem de cinco jogos de jejum.
Nesta briga contra a queda, as duas equipes demitiram seus treinadores na rodada passada e estrearão novos comandantes. Pelo lado do Santa, Lorival Santos irá dirigir a equipe, enquanto Emerson Sacramento assume o Potiguar de Mossoró.
 
 

América tem quase um time inteiro de desfalques

Compartilhe esse conteúdo

Não bastasse um elenco completamente novo para organizar, o técnico Felipe Surian encontra outro grande obstáculo neste início de temporada no América: o departamento médico.  Neste momento, o comandante do Dragão tem nada menos que 10 jogadores em tratamento e que não podem entrar em campo. 
 
Só na última partida, na quarta-feira passada, diante do Baraúnas, o treinador perdeu mais dois nomes: o volante Filipe Alves e o meia Michel Cury - que já jogou improvisado como lateral-esquerdo pela contusão de Danilo - saíram machucados de campo e podem ser desfalques na rodada decisiva contra o Assu.
 
Só para se ter ideia, ele tem desfalques em todas as posições, com exceção do gol. São desfalques: o lateral-direito Osmar, os zagueiros Lucas Bahia e Daniel Felipe, o lateral-esquerdo Danilo,  os volantes Filipe Alves, Michel Benhami e Somália, o meia Michel Cury e os atacantes Dija Baiano e Daniel Morais.
 
A ausência de quase um time inteiro naturalmente tem atrapalhado o processo de construção da equipe. Desses,  pelo menos seis nomes (Daniel Felipe, Danilo, Filipe Alves, Benhami, Cury e Dija) são ou já foram considerados titulares da equipe de Surian.  
 
Desses, o caso mais emblemático é o do atacante Daniel Morais. Contratado com status de titular junto ao Náutico, o centroavante sequer conseguiu estrear com a camisa rubra e se lesionou antes do Campeonato Potiguar começar. Ainda não há previsão para o retorno dele.
 
Já Somália estreou contra o Audax na semana passada, pela Copa do Brasil, mas depois de 40 minutos sentiu uma lesão e precisou ser substituído.
 
 
Arranjos no time titular
 
Enquanto não tem boa parte do elenco à disposição, o técnico Felipe Surian vai se virando como pode. Para a partida diante do Assu, ele deve contar com os retornos de Lucas Bahia, Dija Baiano e Filipe Alves, o que pode ajudar.
 
Mas, ainda assim, terá dificuldades na armação do time titular. Na lateral-esquerda, por exemplo, ele não terá nenhum dos três jogadores que atuam na função: Danilo, Michel Benhami e Michel Cury, todos no departamento médico.
 
Assim, a tendência é que Richardson seja improvisado na vaga e Maracás retorne ao time titular na defesa ao lado de Paulão. Everton deve seguir do lado direito.
 
O time deve ir a campo com Fred; Everton, Maracás, Paulão e Richardson; Filipe Alves, Marcos Júnior, Raul e Jean Patrick; Lúcio Curió e Tony.
 
No banco, a equipe deve novamente figurar com vários jovens como o volante Judson, o meia Anthony e o meia-atacante Marcelinho.

Único potiguar na Copa do Brasil, ABC faturou R$ 315 mil com classificação

Compartilhe esse conteúdo

Dos três potiguares, agora só resta um. Com o fim da primeira fase da Copa do Brasil para os clubes do Rio Grande do Norte, apenas o ABC conseguiu avançar de fase na competição ao empatar com o Ceilândia, no estádio Abadião, por 1 a 1. Apesar da pressão sofrida na partida, o time do técnico Geninho garantiu o resultado que é de extrema importância para o Alvinegro.
 
Isso porque a importância da Copa do Brasil não está apenas nas quatro linhas. O avanço de fase representa também um aporte financeiro fundamental para o clube no semestre: o ABC receberá R$ 315 mil por disputar a segunda fase.  O clube já havia recebido outros R$ 250 mil apenas por participar do certame.
 
Assim como na temporada passada, o clube foi o único dos três potiguares a passar da primeira fase. Na temporada 2016, por curiosidade, os outros dois clubes do RN que jogaram a competição também foram Globo e América. 
 
E, pela segunda vez consecutiva, haveria a possibilidade de um Clássico-Rei logo na segunda fase, que não acontecerá. O ABC enfrentará o Audax, sensação do Campeonato Paulista e treinador pelo "revolucionário" Fernando Diniz, na competição. 
 
O time de Osasco eliminou o América na rodada inaugural. No ano passado, o Dragão havia caído para o Gama, que depois tirou o Alvinegro do certame.
 
A segunda fase, assim como a primeira, acontecerá também em jogo único. O mando de campo dessa vez será do Alvinegro e a partida acontecerá no Frasqueirão dia 1 de março, 19h30, conforme decisão anunciada ontem à tarde pela CBF. 
 
O mando de campo foi sorteado ainda em dezembro do ano passado junto com os primeiros confrontos. Mas na segunda fase, há uma diferença para a primeira. O clube que joga fora de casa (no caso, o Audax), não atua pelo empate,  assim como o ABC não tem qualquer vantagem. Quem vencer, passa de fase. Em caso de empate, a disputa será decidida nos pênaltis.
 
Depois de cair na segunda fase na temporada passada, quando já era treinado pelo técnico Geninho, o Alvinegro agora busca ir mais longe no certame, onde será o único potiguar envolvido a partir de agora. O time foi o único que conseguiu se sair bem no novo formato da competição, reformulada pela CBF no final do ano passado.
 
Isso porque o Globo caiu diante do Fluminense no estádio Barrettão com uma derrota pesada por 5 a 2. O time de Ceará-Mirim sequer chegou a ameaçar uma possível classificação. O Tricolor carioca impôs o seu jogo e já abriu larga vantagem desde os primeiros minutos de partida.
 
Um destaque negativo foi a presença do público no estádio. A partida foi destacada pelo presidente Marconi Barretto como a principal da história do Globo. Apesar disso, apenas 1.786 torcedores foram ao Barrettão acompanhar o duelo para uma renda de R$ 51.860. 
 
O local da partida, inclusive, foi alvo de polêmica. O presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), José Vanildo, queria levar a partida para a Arena das Dunas, o que irritou o dirigente da Águia. Dias depois, o duelo foi confirmado no Barrettão.
 
Com a derrota, mais uma vez, para o Globo a Copa do Brasil se encerra na primeira fase. Essa foi a terceira participação do clube no certame e a terceira eliminação também na fase inaugural. 
 
Em 2015, seu primeiro ano no certame, a Águia de Ceará-Mirim enfrentou o rival local América. Na estreia, no Barrettão, foi derrotado por 5 a 1 e eliminado logo de cara, sem direito a chance do jogo da volta - na época, se o time da casa não perdesse por dois ou mais gols de diferença, teria o duelo de volta, na casa do adversário.
 
No ano passado, o time conseguiu o seu melhor desempenho. Depois de empatar em casa com o Bahia por 0 a 0, teve a chance de fazer o jogo da volta na Fonte Nova, em Salvador. Lá, acabou derrotado por 3 a 1 e eliminado novamente na primeira fase.
 
O América já havia jogado pela competição na semana passada contra o Audax, em Osasco. O time do técnico Felipe Surian atuava pelo empate, o que conseguiu até os 39 minutos do segundo tempo, quando sofreu um gol de Rafinha. O resultado fez o time paulista avançar. A equipe irá enfrentar o ABC no Frasqueirão na segunda fase.
 

Atletismo russo ameaça punir atletas que não devolveram medalhas

Compartilhe esse conteúdo

A Federação Russa de Atletismo confirmou nesta quinta-feira que só uma de 23 medalhas olímpicas foram devolvidas pelos competidores do país que precisam fazê-lo em razão de resultados positivos em novas análises das amostras dos Jogos de 2008 e de 2012. 
 
Diante desse cenário, as autoridades locais reiteraram o pedido para que as devoluções sejam realizadas, chegando a avisar que os atletas que não o fizerem não poderão compor a seleção nacional. 
 
O único atleta que devolveu sua medalha foi Anton Kokorin, que obteve um bronze no revezamento 4x400 metros na Olimpíada de 2008, em Pequim. Kokorin não deu positivo, mas a desclassificação de seu companheiro Denis Alexeyev por consumo de um esteroide proibido se estendeu para toda a equipe. 
 
Na tentativa de acelerar o processo para cancelar a sua suspensão e ganhar um pouco de boa vontade das autoridades internacionais, a federação russa disse que os atletas que não devolverem as medalhas não poderão competir em seus torneios, ser membros das equipes nacionais e nem se apresentarem em campeonatos internacionais como atletas neutros. 
 
A própria federação está suspensa das competições internacionais desde novembro de 2015 por causa de um esquema de doping generalizado. Assim, disse que sua insistência no pedido para devolução das medalhas é parte do processo para convencer a Associação Internacional das Federações de Atletismo de que a Rússia merece se ver livre da punição. 
 
A federação disse que "está emitindo um lembrete de que durante o processo de reintegração existem alguns critérios que têm sido até agora ignorado por várias pessoas". Outra prioridade é devolver as premiações que os atletas flagrados em exames antidoping ganharam em eventos não-olímpicos, acrescentou a federação.
 
A decisão de não selecionar atletas que não devolveram medalhas olímpicas não terá, na maioria dos casos, efeito direto, uma vez que vários deles estão suspensos, enquanto outros já se aposentaram. No entanto, poderia afetar os atletas de equipes de revezamento que não deram positivo, mas foram desclassificados por causa do caso de doping de algum companheiro.