Diretor revela que Chapecoense só assinou com três reforços até agora

Diretor revela que Chapecoense só assinou com três reforços até agora

Compartilhe esse conteúdo

Uma vez que precisa contratar quase que um elenco inteiro depois de perder 19 atletas mortos no acidente aéreo de novembro passado, a Chapecoense precisa de uma espécie de força-tarefa para entregar um grupo para o técnico Vagner Mancini começar a trabalhar na próxima sexta-feira.
 
Por enquanto, o clube não anunciou oficialmente nenhum reforço, ainda que diversos estejam encaminhados. Nesta terça-feira, o diretor-executivo Rui Costa revelou que são apenas três os atletas já com contratos assinados.
 
"Já temos formalizada a contratação do Grolli, do Nadson e do Rossi. O goleiro Elias também está encaminhando os últimos documentos e deve estar aqui nos próximos dias para exames médicos", contou. Douglas Grolli é zagueiro e vem por empréstimo do Cruzeiro, Nadson, meia, foi contratado de graça depois de ele deixar o Paraná Clube e Rossi, ex-Goiás, já estava encaminhado com a Chapecoense antes do acidente.
 
Na segunda, Mancini já havia dito que pretendia contar na sexta-feira com 70% dos jogadores que disputarão o Campeonato Catarinense. Nesta terça, Rui Costa mensurou o tamanho desse grupo, lembrando a dificuldade desse processo. 
 
"Estamos trabalhando com um número de 18 a 20 novos atletas. Mas com este número de contratações, que é algo inusual no futebol mundial, nós temos que ter cautela, pois são muitos contratos, muitas análises jurídicas, muitos exames a serem feitos."
 
O meia Dodô, do Atlético-MG, também já é dado como nome certo na Chapecoense, tendo sido citado inclusive pelo presidente do clube. Também devem chegar o zagueiro Fabrício Bruno (Cruzeiro), o volante Andrei Girotto (Kyoto Sanga, do Japão), o lateral-direito Moisés (Grêmio), o lateral-direito uruguaio Zeballos (Defensor, do Uruguai) o lateral-esquerdo Reinaldo, o meia Daniel (ambos do São Paulo) e os atacantes Wellington Paulista (do Fluminense) e Niltinho (do Criciúma).