Presidente do Peñarol culpa Felipe Melo por briga generalizada

Presidente do Peñarol culpa Felipe Melo por briga generalizada

Compartilhe esse conteúdo

O presidente do Peñarol, Juan Pedro Damiani, culpou o volante Felipe Melo por toda a confusão ocorrida na noite desta quarta-feira, no estádio Campeón de Siglo, em Montevidéu, após a vitória do Palmeiras por 3 a 2, válida pelo Grupo 5 da Copa Libertadores.

"Felipe Melo gerou toda a violência. No futebol se ganha ou perde, mas nós não podemos permitir que isso transborde. Felipe Melo armou a confusão quando acertou um soco em Mier. Os jogadores foram à arquibancada para tentar apaziguar. É lamentável, viemos viver uma grande festa", disse o dirigente, em entrevista à rádio Sport 890.

Ao fim do jogo, os jogadores das duas equipes se envolveram em uma briga generalizada no gramado, que acabou se estendendo às arquibancadas. Os uruguaios tentaram agredir o volante Felipe Melo, que tentou se afastar do conflito. O palmeirense foi perseguido por Mier e deu um soco no atleta do Peñarol.

O volante brasileiro já havia sido protagonista no primeiro encontro jogos entre os dois times no Allianz Parque, quando acusou Gastón Rodríguez de racismo. O uruguaio teria chamado o brasileiro de "macaco" durante a partida.

O dirigente uruguaio também disse estar tranquilo sobre uma possível punição ao estádio Campeón de Siglo. "Falei com Héctor Baldassi (ex-juiz, membro da Comissão de Árbitro da Conmebol), e ele e o observador da partida me disseram que o problema foi entre jogadores e não com o estádio. Não creio que haja uma sanção", declarou.