Estilista coloca mulheres trans na passarela do SPFW

Estilista coloca mulheres trans na passarela do SPFW

Compartilhe esse conteúdo

Foi um manifesto social o desfile do estilista mineiro Ronaldo Fraga, nesta quarta-feira, no Teatro São Pedro. Na passarela, ele colocou apenas mulheres transexuais, todas elas com variações de um único vestido. Mudavam apenas as estampas, inspiradas em bonecas de papel. "A história dessa coleção não está nas roupas e, sim, em quem as veste", disse, pouco antes de começar o show, na São Paulo Fashion Week.
 
O estilista abriu a apresentação lembrando que o Brasil é o país onde mais ocorrem assassinatos de travestis e transexuais em todo o mundo, segundo um relatório da ONG internacional Transgender Europe. "Estamos em tempos de guerra. Nós não precisamos mais de roupas. A moda precisa começar a dialogar em outras frentes." 
 
Valentina Sampaio, que é trans e desponta como a top queridinha da estação, era a única modelo profissional. O resto do casting foi selecionado pelo Instagram. "Foi emocionante, até chorei. Nunca vi uma manifestação assim em desfiles de moda. Ronaldo realmente vai além", disse a consultora de moda Costanza Pascolato.
 
Ao levantar a bandeira do transgênero e convocar travestis e mulheres que passaram por cirurgia de mudança de sexo para seu desfile, Fraga não apenas fez uma moda de protesto como deu vida e personalidade às roupas. "Não é o vestido que valoriza o corpo, é o corpo que valoriza o vestido. Se antes ele caía solto, agora ele ganha bundas e peitos que eu não desenhei", diz "Isso é maravilhoso."