Último desejo de Fidel Castro se torna lei em Cuba

Último desejo de Fidel Castro se torna lei em Cuba

Compartilhe esse conteúdo

O último desejo de Fidel Castro se tornará lei em Cuba. Nesta terça-feira (27), o parlamento cubano aprovou, por unanimidade, um decreto que proíbe o uso do seu histórico líder socialista em espaços públicos e a construção de estátua em alusão à figura do ditador.
 
O instrumento jurídico que sustenta o desejo do 'El Comandante' foi aprovado na última sessão deste ano da Assembleia Nacional de Cuba, liderada pelo atual presidente da ilha, Raúl Castro, irmão de Fidel. O regimento visa "evitar qualquer manifestação de culto da personalidade de Fidel", conforme noticiou a Agência Cubana de Notícias.
 
A proibição inclui a utilização do nome de Fidel Castro como "marca e outros signos distintivos, nome de domínio e desenhos com finalidades comerciais ou publicitárias".
 
A nova lei, no entanto, permite que o nome de Fidel seja utilizado para denominar instituição de estudos sobre sua "trajetória na história" de Cuba e também não exclui que artistas se inspirem no líder cubano para criar uma obra.
 
As sanções para quem violar a lei não foram divulgadas.