Inframérica vai investir em expansão do Aeroporto de São Gonçalo

Inframérica vai investir em expansão do Aeroporto de São Gonçalo

Compartilhe esse conteúdo

José Luis Menghini, presidente da Inframérica, na entrevista abaixo, fala sobre a parceria entre o Aeroporto Internacional Aluízio Alves e o Rio Grande do Norte. Além disso, ele destaca o papel do terminal no desenvolvimento do estado, os desafios, a ampliação contínua e as perspectivas para o futuro do aeroporto que vai fechar 2015 com um crescimento entre 6% e 7% em relação a 2014, o primeiro ano de operação e ressalta a chance real do aeroporto sediar o hub da Latam. 
 
No NOVO RN, o senhor deverá falar sobre o Aeroporto Aluízio Alves como potencial de desenvolvimento do Rio Grande do Norte. Em que pontos pretende tocar na palestra?
A palestra é uma oportunidade de falarmos do Aeroporto de Natal e as suas potencialidades e desafios.
 
Que contribuições o terminal já trouxe ao estado desde a sua inauguração?
 
O Aeroporto de Natal teve e tem papel vital no desenvolvimento econômico da região. O Terminal é a porta de entrada de milhares de turistas e gerador de novos empregos e traz oportunidades de negócios para a região. Além disso, o Terminal de Cargas exporta e importa produtos de forma simplificada, abrindo grandes oportunidades para os produtores do Rio Grande do Norte e do Nordeste do país.  
 
E quais são as perspectivas para o futuro?
O Aeroporto de Natal não para de crescer. Desde que assumimos a administração do Terminal, trouxemos novos voos domésticos e internacionais. Novos negócios estão surgindo e nossa perspectiva é atingir em 2020 os números inicialmente informados pelo Governo brasileiro, factíveis desde o início da concessão em 2014.
 
Uma das principais pautas do poder público e da iniciativa privada potiguar atualmente é o hub da Latam. Como o senhor vê a concorrência entre os três estados nordestinos (RN, CE e PE)?
 
Nós acreditamos no nosso potencial. O Aeroporto de Natal é novo, temos o mais moderno Terminal do Nordeste, com a maior capacidade de pista da região e com potencial para receber as maiores aeronaves do mundo, como o A380. Possuímos também um vasto espaço para expandirmos tanto o terminal de passageiros quanto o Terminal de Cargas. E isto é óbvio para a TAM como para qualquer outras das grandes empresas de aviação do Brasil que apostam no desenvolvimento estratégico do Nordeste brasileiro e nos consultam a respeito.
 
Como é a relação da Inframérica com a companhia em Brasília, onde a TAM já opera um hub?
 
Nós temos uma ótima relação com todas as companhias aéreas, e a TAM é uma das nossas excelentes parcerias. 
 
Com ou sem o hub da Latam, que outros investimentos o Aeroporto de Natal poderá atrair a curto, médio e longo prazo?
 
Acreditamos no potencial do Aeroporto e estamos investindo para trazer novidades e novos negócios para o Terminal. Temos 28 anos de concessão e gostaríamos de tornar o Aeroporto em um dos mais modernos do país. Somos a porta de entrada do Nordeste, queremos que nossos passageiros tenham uma experiência singular ao utilizar nossos Aeroportos. Para tanto, continuaremos aprofundando a especial parceria que temos com o Governo do RN e da prefeitura de São Gonçalo.
 
Quais são os resultados da Inframérica neste ano. Como a empresa pretende se expandir em 2016?
 
Devemos finalizar o ano de 2015 com um movimento entre 6% e 7% maior que em 2014, mesmo em um período de recessão da economia. Isto é fruto de decisões estratégicas e operacionais prévias. O Aeroporto de Natal tem um ano e meio de operação e tem capacidade para receber 6 milhões de passageiros. Hoje nosso aeroporto atende folgadamente a demanda atual. Nossas expansões serão nas áreas comerciais, cargas, novos voos e novos negócios.
 
A crise atrapalhou o mercado? Como o senhor enxerga o atual momento?
 
A crise que o Brasil enfrenta atinge a todos nós. Estamos enfrentando esse momento, com a prudência de sempre, mas temos crescido e conquistados novas rotas. A cidade de Natal é ponto turístico e, por conta do dólar alto atrairá mais turistas estrangeiros e brasileiros, desde que a infraestrutura local consiga absorvê-los. Nosso potencial é enorme e junto com governos e os demais players da aviação civil passaremos por mais esse momento.
 
INFRAMÉRICA NO NOVO RN
 
O presidente da Inframérica, José Luis Menghini, desembarca amanhã (30) em Natal para participar do NOVO RN.  O executivo fará  palestra sobre o Aeroporto Internacional Aluízio Alves como potencial para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte e as possibilidades de o estado sediar o hub da Latam. 
 
José Luis Menghini dirige a empresa concessionária dos aeroportos de Natal (o primeiro privado do país) e de Brasília desde maio deste ano. Desde então, enfrenta o desafio de atrair para o terminal potiguar o centro de conexões (hub) que a Latam anunciou para o Nordeste em 2016, abrindo uma disputa entre Natal, Fortaleza e Recife. Essas capitais concorrem para sediar o hub que terá investimento  estimado em R$ 10 bilhões.
 
Para o diretor da Inframérica, o aeroporto potiguar é o mais moderno entre os concorrentes e tem toda a capacidade de atender a demanda requerida pela Latam e com espaço para crescer mais  ainda. “E isto é óbvio para a TAM como para qualquer outras das grandes empresas de aviação do Brasil”, diz em entrevista ao NOVO. A companhia de aviação e a concessionária já são parceiras em Brasília, onde a TAM opera um hub. 
 
Além do hub, a palestra também deverá apresentar oportunidades de negócio nas áreas de exportação e importação de produtos aos empresários potiguares.O executivo argentino também comenta a crise econômica brasileira. Diz que a situação afeta todos os segmentos, inclusive o da aviação, mas apresenta resultados positivos da companhia, especialmente nas operações em Natal. José Luis Menghini aposta especialmente no Turismo potiguar, que, segundo ele, vai crescer ainda mais devido à alta do dólar. Para isso, chama à responsabilidade governos estadual, municipais e demais envolvidos na aviação civil.  
 
O NOVO RN acontece amanhã (30) no Hotel Holiday Inn, ao meio-dia. O evento é para cerca de 40 convidados, representantes de órgãos e entidades públicos, privados, além da sociedade civil organizada.
 
O evento será aberto pelo conselheiro de conteúdo e engajamento com a audiência do NOVO, jornalista Everton Dantas. Em seguida, o palestrante terá seu tempo de exposição. Por fim, será aberto um debate entre os presentes. O evento tem duração média de uma hora e 20 minutos. 
 
 “NOVO RN” é fórum de iniciativa do NOVO Eventos, associação entre o NOVO e a Unika Eventos, para produção de atividades que atendam demandas do consumidor, seja do setor empresarial, ou mesmo das áreas esportiva e de entretenimento.
 
“O grande acontecimento da economia do Rio Grande do Norte será a confirmação do hub aqui. E nada melhor que o NOVO trazer o presidente do Consórcio Inframérica para que ele fale das reais potencialidades do Aeroporto Aluízio Alves e o quanto ele pode significar para o desenvolvimento do estado”, afirma o executivo de Negócios do NOVO, Leandro Mendes.
Nas edições de 2015 do NOVO RN, palestraram o advogado Terence Trennepohl, especialista em direito ambiental; o economista Marcos Nóbrega; e o secretário de Desenvolvimento Econômico do RN, Flávio Azevedo.