Septe razões para apoiar este projeto

Septe razões para apoiar este projeto

Compartilhe esse conteúdo

Há algumas semanas, está no ar uma campanha de financiamento coletivo para bancar a produção de uma web-série chamada SEPTO, que tem como protagonistas as atrizes Alice Carvalho e Anna Zêpa, roteiro de Aureliano Medeiros, além do envolvimento de profissionais do quilate de Teca Duarte, Pipa dantas e Jomar Dantas (o ursinho Pimpão que dirige os docs da AÇÃO LEITURA). Faltam pouco mais de 15 dias para o prazo estabelecido pelo Catarse (sítio de 'crowd funding' onde o projeto está inscrito) interromper a arrecadação, tendo ou não o projeto sido financiado. Pois bem, considero de suma importância que todos nós que curtimos, incentivamos e consumimos bens culturais de qualidade possamos fazer deste projeto algo nosso também. E listei aqui nada menos que SEPTE razões para que possamos fazê-lo! 

Mas antes, confiram o trailer, para ver como se trata de um trabalho realizado por profissionais caceteiros:

SEPTE RAZÕES

UM - ELES NÃO ESTÃO NOS PEDINDO AJUDA, MAS NOS OFERECENDO ALGO.

A lógica por trás do financiamento coletivo é esta: não se trata de uma ajuda desinteressada e altruísta, uma vez que a filantropia não é uma carcterística inerente a grande parte de nós. No caso dos projetos de "crowdfunding", o planejamento é feito em cima da pergunta que cada indivíduo se faz antes de estender a mão a alguém: "o que é que eu ganho com isso?" Pois bem, apoiando um projeto como este, você recebe diversas recompensas, como cartazes, camisetas, ingressos para festas, etc. Trata-se, portanto, de uma compra e não de uma doação. 

DOIS - EU TENHO A FORÇA.

Quando um projeto com este nos é apresentado e deixa claro que, para ele poder existir, precisa do apoio voluntário das pessoas, ele está nos dando a oportunidade de invertermos a lógica, de tomarmos o poder sobre o que deve ou não ser produzido na área cultural, estamos retirando dos gabinetes dos gestores públicos de cultura, ou das salas dos departamentos de marketing das empresas a decisão final sobre o que merece ou não ser produzido, divulgado, ganhar a relevância e atenção. Conquistmos pois o direito de exercer esse poder que nos está sendo oprtunizado (sempre quis usar este verbo). 

TRÊS - UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

Um projeto de financiamento coletivo não lhe pede ajuda para acontecer. Não é tão simples assim. O que ele faz, na verdade e em essência, é lhe convidar a realizar aquela produção juntamente com as pessoas que conceberam aquela ideia. Eu não sei vocês, mas considero uma tremenda chance essa de podermos praticar a realização coletiva, uma vez que diante de tudo o que tem acontecido no mundo e também no Brasil, só mesmo a união e a solidariedade poderá salvar a humanidade do modelo que tem provocado cada vez mais sofrimento e desigualdade. Apoiar SEPTO é chegar junto, tomar uma atitude, simboliza resistência. 

QUATRO - MUDANDO VELHOS HÁBITOS

Em Natal, ainda são muito poucos os projetos de financiamento coletivo que saem exitosos de uma campanha de arrecadação como esta. Temos uma cultura de não apoiar, de tirar o corpo fora, de agirmos de forma tacanha. Muitas produções culturais, publicações, eventos e iniciativas incríveis deixaram de ser realizadas ou tiveram que ser adiadas por falta de adesão do público final que não quis dar uma pequena contribuição que fosse, mesmo tendo boas premiações em retribuição. Precisamos subverter essa tendência, fazer com que estes produtos comecem a prosperar. Parar de ficar reclamando da vida e dos outros, como se coisas legais não ocorressem em Natal porque não têm apoio/empenho/público/dinheiro. Mentira! Primeiro, porque muita coisa boa acontece em Natal atualmente. Segundo porque a resposta para que cada vez mais empreendimentos bacanas sejam tocados, a solução não estará nos outros, mas em nós mesmos. Quando os projetos de financiamento coletivo começarem a ser exitosos por aqui, significa que estamos evoluindo. Então, coemecemos por SEPTO. Que tal? 

CINCO - ALICE E ZÊPA

Conheço essas duas jovens desde que elas eram ainda mais jovens e posso assegurar-lhes, senhoras e senhores, que ambas são talento em estado puro. Combinam a entrega absoluta à arte de atuar com o profissionalismo de quem sabe produzir as próprias peças, trabalhar competentemente com lietatura, militar em causas sociais que merecem tempo e atenção, além do quê, elas vão formar um casal na série e eu estou doido pra ver uns beijinhos e uns amassos dirigidos com muita arte e delicadeza, mostrando que o amor é importante, acima das convenções arcaicas, dos dogmas medievais e castradores, dos valores conservadores e da bancada do atraso que domina boa parte da opinião pública. 

SEIS - VAMOS FAZER UM FILME?

Nosso Estado é referência nacional em diversas áreas. Na música, temos o MADA e o DOSOL e todas as bandas que foram reveladas desde que estas iniciativas existem. No teatro temos as meninas e os meninos do CLOWNS e todos os demais grupos de teatro que conquistaram espaço e subsistência graças ao talento associado ao profissionalismo. Na dança, temos o GIRADANÇA que realiza um trabalho impressionante e espetacular. Na literatura, temos a JOVENS ESCRIBAS que tem publicado livros e autores que, pela qualidade, estão conseguindo finalmente romper a arrebentação que ficava bem na fronteira do RN, destacando-se e ganhando ressonância em todo o país. E, mais recentemente, a produção audiovisual potiguar integrou-se a este efervescência tanto em volume como em qualidade de produção. Muitos são os curtas realizados nos últimos anos e nomes como Carito Cavalcanti (diretor), Jomar Dantas (ursinho pimpão), Fernando Suasuna (roteirista) e atores como César Ferrario, Marco França e Dudu Galvão já se destacam em mostras e festivais. 

SEPTE - AURELIANO MEDEIROS

Se vocês não elarm o livro "Madame Xanadu" de Aureliano, não sabem do que eu estou falando. Esse rapaz é um ótimo escritor e costuma se engajar em ótimos trabalhos, como o papel que ele representa sendo um dos diretores da EDITORA TRIBO. Sendo ele o roteirista (ou um deles) desta série, aposto que vem coisa boa por aí. Inclusive, vou encerrar esta postagem com um vídeo de Aureliano, esse eterno cosplay de "Garoto Enxaqueca", do anão "Zangado" ou do "Smurf Ranzinza", falando sobre SEPTO. Assistam: 

Para apoiar a web-série, basta clicar no seguinte endereço: https://www.catarse.me/septowbs

Abralhos!

Fialho