Acordo de Paris contra alterações climáticas será assinado hoje em NY

Acordo de Paris contra alterações climáticas será assinado hoje em NY

Compartilhe esse conteúdo

Representantes de cerca de 160 países assinam hoje (22) em Nova York, nos Estados Unidos, o acordo de Paris contra as alterações climáticas. A assinatura do acordo, fechado em 12 de dezembro de 2015, depois de difíceis negociações entre 195 países e a União Europeia, vai ocorrer na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), no Dia Mundial da Terra.
 
Com o objetivo de entrada em vigor em 2020, o acordo, no entanto, só se concretizará quando for ratificado por 55 Estados responsáveis por, pelo menos, 55% das emissões de gases de efeito de estufa.
 
Depois da adoção do texto em Paris, ainda é necessária a assinatura do acordo, até fim de abril de 2017, e a ratificação nacional, conforme as regras de cada país, podendo ser por meio de votação no Parlamento ou de decreto-lei, por exemplo.
 
Uma das novidades do documento é a revisão, a cada cinco anos, das metas de contribuição de cada Estado para tentar conter o aquecimento do planeta e suas consequências. Entre essas consequências estão a maior frequência de fenômenos extremos de calor, levando às secas e aos incêndios florestais, a concentração da chuva em períodos curtos de tempo, provocando cheias e inundações, e a subida do nível do mar.
 
São esperados em Nova York cerca de 60 chefes de Estado, como o francês François Hollande, o vice-primeiro ministro chinês, Zhang Gaoli, o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, e o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.
 
Na semana passada, a ministra francesa do Ambiente, Segolene Royale, que foi a presidente da COP21, disse que o número de presenças confirmadas significa que o "momentum" do acordo de Paris não enfraqueceu". Para ela, a cerimônia é uma oportunidade para os líderes internacionais fazerem "uma declaração forte" sobre a futura política relacionada ao preço do carbono, para estimular o desenvolvimento da energia limpa.