Metade da água captada no RN se perde antes de chegar nas torneiras

Metade da água captada no RN se perde antes de chegar nas torneiras

Compartilhe esse conteúdo

Hoje, dia mundial da água, o Rio Grande do Norte não tem muito o que comemorar. Além da seca que há 4 anos seguidos atinge importantes cidades no interior do estado, causando a escassez hídrica e o esgotamento de várias barragens, outro dado preocupante é do desperdício na distribuição da água encanada. 

De acordo com o mais recente Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgostos (de 2014), divulgado pela Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades com base em dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS, 53,8% da água captada no RN é desperdiçada antes mesmo de chegar na sua torneira, 17% a mais do que a média nacional de 36,7%. Ou seja, para cada litro de água que chega na sua casa por meio das tubulações da rede de distribuição, outro litro e meio fica pelo caminho. O percentual deixa o RN na penúltima colocação do ranking do desperdício no Nordeste, na frente apenas de Sergipe (que registra perda de 60,2%). Com relação a todos as regiões do país, o RN é o sétimo pior estado no quesito desperdício na distribuição de água. 

Essas perdas acontecem por vazamentos em adutoras, redes, ramais, conexões, reservatórios e outras unidades operacionais do sistema. Os vazamentos também estão associados à qualidade dos materiais utilizados, à idade das tubulações, à qualidade da mão-de-obra e à ausência de programas de monitoramento de perdas, dentre outros fatores. 

Sem contar que dos 46,2% restantes da água disponível para os consumidores, uma outra parte também será desperdiçada durante o banho demorado, na torneira quebrada, na lavagem da calçada... nos desperdícios da vida.