Operação da Polícia Civil prende cinco por homicídios no interior

Compartilhe esse conteúdo

A Polícia Civil, com apoio da Polícia  Militar, prendeu cinco pessoas na manhã desta quinta-feira (29), em São Paulo do Potengi, localizado na região Agreste do estado. A Operação Boldness cumpriu cinco mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão domiciliar.
 
A ação policial desarticulou uma organização criminosa que agia na região do Potengi na prática de homicídios. Os presos são investigados pela prática de seis assassinatos ao todo, dentre os quais o do agente penitenciário David Max Silva Ramos, ocorrido em maio deste ano, quando foi alvejado  por mais de quinze tiros.
 
Os suspeitos ainda são investigados pelos homicídios de Francisco Moneilson Dantas Coelho, ocorrido em 12 de novembro deste ano; Marcílio Carlos de Medeiros, ocorrido no último dia 3 de dezembro; Francisco de Assis Gomes dos Santos, ocorrido no último dia 22, além dos homicídios tentados de José Carlos do Nascimento, em 10 de dezembro e William José de Lima, ocorrido em 17 de outubro. Todos os crimes foram praticados em São Paulo do Potengi.
 
A maioria dos homicídios estão relacionados com o tráfico de drogas na região. Foram presos: Renato da Silva Medeiros, 26 anos; José Erick Dantas Sales, 29; Alison Cosme, 24; Diego Salviano da Silva, 25; e Valdenilson da Silva Quirino, 21.
 
A Operação Boldness aconteceu nas primeiras horas desta manhã, com a participação de policiais civis da 1° Regional de São Paulo do Potengi (com apoio das Delegacias Municipais de Lajes, Bom Jesus, Santa Maria, São Tomé e Riachuelo) juntamente com auxílio da Polícia Militar de São Paulo do Potengi, Eloi de Souza, Serra Caiada, São Tomé e o Grupo Tático Operacional (GTO) de João Câmara.
 
 

Polícia Civil prende irmãos suspeitos de roubar carros e apreende armas

Compartilhe esse conteúdo

Policiais civis da Delegacia Especializada em Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov) cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão em Natal e Parnamirim e conseguiram prender dois irmãos, além de apreender armas, munições e celulares, na manhã desta segunda-feira (13). Foram presos Francisco Aureliano de Oliveira, de 30 anos, e Francisco Adomilson de Oliveira, 33.
 
Francisco Aureliano de Oliveira, que é investigado pela participação em roubos a veículos, foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, quando estava em sua residência no bairro de Nova Parnamirim, em Parnamirim. Ele cumpria pena no regime semiaberto.
 
Outra equipe de policiais civis foi até a casa de Francisco Adomilson de Oliveira, que fica localizada no bairro Dix-Sept Rosado, Zona Oeste de Natal, e cumpriu um mandado judicial de busca e apreensão.
 
“Como ele estava na posse de uma pistola 938 calibre 380 e de um revólver calibre 38, além de vasta quantidade de munição para as duas armas, foi preso em flagrante pelo crime de posse e receptação de arma de fogo. Com a efetivação destas duas prisões, nós continuaremos as investigações para descobrir outros comparsas”, detalhou o delegado titular da Deprov, Licurgo Nunes.

Operação da Polícia Civil em Mãe Luiza prende integrantes do Sindicato do RN

Compartilhe esse conteúdo

Uma operação policial conduzida pela Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur), com apoio do Batalhão de Operações Policiais (BOPE) e do helicóptero Potiguar 1, conseguiu prender dois homens, apreender armas, munições, celulares e drogas no bairro de Mãe Luiza, na manhã desta quinta-feira (09). Pablo Roberto de Araújo Santos, conhecido como “Rabujo”, 26 anos e Francisco Silas de Oliveira França, 26 anos foram presos em flagrante quando estavam na residência de Pablo.

“Os dois, que são integrantes do Sindicato do RN, são suspeitos de terem participado dos últimos ataques criminosos ocorridos em Natal, durante o mês de janeiro. Nós descobrimos a casa onde Rabujo estava e nesta manhã, as equipes deslocaram-se até a residência do mesmo. No local, nós encontramos Rabujo com Silas. Ambos estavam com um revólver calibre 38 com munições; uma pistola calibre 380 com munições; crack, maconha e cocaína; um instrumento para analisar a veracidade de ouro que era subtraído das vítimas. Nós indiciamos os dois por tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte compartilhado ilegal de arma de fogo”, detalhou a delegada Danielle Filgueira, titular da Defur.

A investigação feita pela Delegacia Especializada descobriu que a dupla estava planejando viajar para Recife (PE) com o intuito de praticar roubos durante o desfile do Galo da Madrugada.

De acordo com a delegada, Pablo Roberto de Araújo, que também possuía um mandado de prisão em aberto. Ele é suspeito de ter matado duas vítimas no Distrito Federal e também teria assassinado um homem no dia 27 de janeiro, em Mãe Luiza. “No momento da entrada dos policiais na casa de Pablo, os suspeitos dispararam e ele acabou sendo atingido de raspão na perna”, relatou Danielle Filgueira.

Polícia Civil prende foragido de Alcaçuz que saiu pela porta da frente

Compartilhe esse conteúdo

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) e da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur) prenderam Marcos Miguel de Couto, 39, no começo da manhã desta quarta-feira (8). Marquinhos da Sucata, como é conhecido, fugiu da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no ano passado.

O detalhe é que a fuga aconteceu pela porta da frente do presídio, segundo confirma a Polícia Civil. O detento estava foragido desde o dia 27 de novembro de 2016. Ele aproveitou o sábado de visitas para sair caminhando pela porta da frente do presídio. Nesta manhã, Marcos foi preso na zona rural de Ceará Mirim.

À época da fuga, dizia-se que o apenado era um "preso de confiança", o que teria facilitado sua fuga. Contudo, a informação foi negada pela Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc), que disse não haver presos "de confiança" no sistema prisional potiguar.

Marcos Miguel é condenado a 33 anos de reclusão por assalto e associação criminosa. Ele também responde por um crime de homicídio contra uma jovem de 18 anos que foi morta no dia 8 de março de 2015, na Zona Norte de Natal.

Polícia Civil prende suspeito de estuprar criança em Felipe Camarão

Compartilhe esse conteúdo

Policiais civis da Delegacia Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente (DCA) prenderam, na tarde desta segunda-feira (6), um homem de 41 anos suspeito de estuprar uma criança de 11 anos de idade, no bairro de Felipe Camarão, Zona Oeste de Natal.

No crime, ocorrido em setembro de 2016, o suspeito teria levado a criança para a sua casa, que fica próxima à residência da vítima, e praticado relação sexuais com ela. Além do estupro, o homem é ainda suspeito de ameaçar a vítima e os familiares, além de posteriormente continuar a intimidar a criança.

Segundo familiares da vítima, o suspeito tem histórico de assediar outras crianças, de se masturbar, e expor seu órgão genital na presença de adolescentes. Ele foi preso em cumprimento de um mandado de prisão e encaminhado ao sistema prisional, onde está à disposição da Justiça. Nem suspeito e nem vítima tiveram as identidades reveladas pela Polícia Civil.

Defesa de viúva de empresário presa questiona investigação policial

Compartilhe esse conteúdo

O advogado de defesa de Martha Renatta Borsatto, suspeita de ter sido mentora intelectual do assassinato de seu ex-marido, o empresário Ademar Miranda Neto, questiona o trabalho de investigação da Polícia Civil e as alegações que basearam a prisão de sua cliente. Fernandes Braga assumiu há cinco dias a representação legal da mulher de 36 anos, no dia em que ela foi detida pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em 8 de dezembro. Ele alega que o trabalho investigativo policial foi falho e que a mulher foi presa como "bode expiatório".

O crime que matou Ademar Miranda, 58, ocorreu na noite do dia 7 de junho deste ano. A vítima dirigia na Avenida Engenheiro Roberto Freire, Zona Sul, quando foi assassinada a tiros por dois criminosos em uma motocicleta. Renatta foi presa temporariamente (por 30 dias) e agora aguarda, no Centro de Detenção Provisória (CDP) Feminino de Parnamirim, decisão do Judiciário quanto a um Habeas Corpus, pedido por seu novo representante.

Segundo Braga, a prisão de sua cliente foi indevida, já que haveria indícios de que uma outra pessoa apresentava uma conduta de ameaça ao empresário, com problemas de relacionamente desde 2010: a ex-esposa de Ademar (companheira dele antes de Renatta). De acordo com documentos apresentados pelo advogado, a outra mulher já teria solicitado, há seis anos, para seu então namorado matar o hoteleiro.

Essa informação teria sido ocultada à Justiça no pedido de prisão emitido pela polícia, revela o advogado. Martha Renatta foi presa na última quinta-feira após prestar um depoimento na DHPP. Os investigadores alegam que ela, além de se contradizer em suas oitivas, ainda tentou interferir no inquérito após buscar testemunhas e pedir que elas contratarem um advogado de sua confiança e combinar depoimentos.

Fernandes Braga questiona essa alegação, defendendo que não há qualquer registro legal dessa acusação por parte da Polícia Civil. "Não houve obstáculo, é uma alegação inverídica", acusa o defensor.