Polícia prende homem que fez mulher de refém durante roubo em Natal

Polícia prende homem que fez mulher de refém durante roubo em Natal

Compartilhe esse conteúdo

Policiais militares prenderam em flagrante, no começo da tarde desta segunda-feira (20), Francisco Edson Ferreira Lopes, 19 anos, o homem que manteve uma refém, com uma arma apontada para a cabeça por mais de 10 minutos, durante um roubo que aconteceu em um laboratório óptico, localizado à rua Felipe Camarão, no bairro Cidade Alta, Natal. Além de Francisco Edson, também foi preso Jadson Nicássio e Silva, 22 anos, que também participou do roubo. Os dois homens foram conduzidos para a Central de Flagrantes da Polícia Civil onde foram autuados em flagrante pelas práticas criminosas.

Durante o tempo, em que a mulher ficou em poder do criminoso, uma rede de televisão transmitiu toda a ação, negociação e libertação da vítima. De acordo com relatos de funcionários da empresa, por volta das 11hs, a dupla entrou armada na loja e rendeu aproximadamente 20 funcionários. Depois de ter conseguido subtrair objetos da loja e pertences dos empregados, a dupla decidiu fugir. Quando Jadson Nicássio e Silva estava na calçada foi preso por uma equipe da Polícia Militar que havia sido acionada. Ao perceber a prisão do comparsa, Francisco Edson decidiu voltar à empresa e escolheu como refém uma atendente chamada “Kaliana”.

Para evitar a prisão, ele decidiu fazer Kaliana de refém e a levou para o primeiro andar da loja com um revólver calibre 38 municiado apontado para a cabeça da vítima. Durante este tempo, exigiu a presença da imprensa. A jovem ficou em poder de Francisco Edson por mais de 15 minutos, sendo liberada após uma negociação feita por policiais militares. A dupla havia conseguido subtrair R$1.768,00, seis aparelhos celulares, nove relógios e joias. “ Nós autuamos a dupla pelo crime de roubo qualificado. Além disto, uma das armas que estava com a dupla está com a numeração raspada, o que poderá gerar a autuação em mais um crime para um deles”, afirmou o delegado Graciliano Lordão, da Central de Flagrantes da Polícia Civil.