Polícia prende homem que fez mulher de refém durante roubo em Natal

Polícia prende homem que fez mulher de refém durante roubo em Natal

Compartilhe esse conteúdo

Policiais militares prenderam em flagrante, no começo da tarde desta segunda-feira (20), Francisco Edson Ferreira Lopes, 19 anos, o homem que manteve uma refém, com uma arma apontada para a cabeça por mais de 10 minutos, durante um roubo que aconteceu em um laboratório óptico, localizado à rua Felipe Camarão, no bairro Cidade Alta, Natal. Além de Francisco Edson, também foi preso Jadson Nicássio e Silva, 22 anos, que também participou do roubo. Os dois homens foram conduzidos para a Central de Flagrantes da Polícia Civil onde foram autuados em flagrante pelas práticas criminosas.

Durante o tempo, em que a mulher ficou em poder do criminoso, uma rede de televisão transmitiu toda a ação, negociação e libertação da vítima. De acordo com relatos de funcionários da empresa, por volta das 11hs, a dupla entrou armada na loja e rendeu aproximadamente 20 funcionários. Depois de ter conseguido subtrair objetos da loja e pertences dos empregados, a dupla decidiu fugir. Quando Jadson Nicássio e Silva estava na calçada foi preso por uma equipe da Polícia Militar que havia sido acionada. Ao perceber a prisão do comparsa, Francisco Edson decidiu voltar à empresa e escolheu como refém uma atendente chamada “Kaliana”.

Para evitar a prisão, ele decidiu fazer Kaliana de refém e a levou para o primeiro andar da loja com um revólver calibre 38 municiado apontado para a cabeça da vítima. Durante este tempo, exigiu a presença da imprensa. A jovem ficou em poder de Francisco Edson por mais de 15 minutos, sendo liberada após uma negociação feita por policiais militares. A dupla havia conseguido subtrair R$1.768,00, seis aparelhos celulares, nove relógios e joias. “ Nós autuamos a dupla pelo crime de roubo qualificado. Além disto, uma das armas que estava com a dupla está com a numeração raspada, o que poderá gerar a autuação em mais um crime para um deles”, afirmou o delegado Graciliano Lordão, da Central de Flagrantes da Polícia Civil.

RN ultrapassa a marca de 800 homicídios em 2017

Compartilhe esse conteúdo

O Rio Grande do Norte ultrapassou a marca dos 800 homicídios em 2017. De acordo com o Observatório da Violência Letal Intencional do RN (Óbvio/RN), até esta sexta-feira (28), 801 mortes foram registradas no estado. 

A marca foi atingida após quatro suspeitos de assaltos a residências na zona rural de Serra Negra, no Seridó potiguar, morrerem em confronto com a Polícia Militar. O confronto aconteceu nos arredores do município de Caicó.

O número contabilizado nos primeiros quatro meses de 2017 é mais de 30% superior ao registrados no ano passado. Em 2016, segundo o mesmo instituto, 613 mortes haviam sido notificadas.

O Óbvio leva em consideração homicídios, latrocínios, lesões corporais seguidas de morte e outras condutas dolosas que resultam em morte.

 

Helicóptero Potiguar 01 auxilia em prisões de suspeitos e apreensão de drogas

Compartilhe esse conteúdo

A tripulação do helicóptero Potiguar 01, do Centro Integrado de Operações Aéreas (CEIOPAER) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), auxiliou, nesta quinta-feira (27), outras forças de segurança do Estado em três operações ocorridas em Natal e Região Metropolitana.

Logo no início da manhã, a equipe fez parte da ação conjunta de Polícia Civil e Militar na Operação Leste - ocorrida nos bairros de Brasília Teimosa, Rocas e Ribeira – que culminou com a prisão de oito pessoas, sendo sete homens e uma mulher, durante cumprimento de mandados de prisão, busca e apreensão expedidos pela Justiça.

Logo em seguida, o Potiguar 01 foi deslocado ao bairro de Mãe Luíza para atuar no apoio a policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM), que acabaram recuperando um veículo com registro de roubo e prendendo três suspeito do crime.

Já no final da manhã, a equipe do CEIOPAER ainda prestou auxílio para a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na prisão de um homem que trafegava em um veículo tipo Celta nas proximidades da BR 101, em Parnamirim, portando cerca de 7 kg de maconha prensada.

Em SP, homem casado mata amante grávida que se negou a fazer aborto

Compartilhe esse conteúdo

Um homem casado, gerente de uma fábrica de roupas, matou uma funcionária com quem tinha um relacionamento amoroso porque ela estava grávida de dois meses e se negava a fazer o aborto. O crime, esclarecido na noite desta quarta-feira, 26, chocou a pequena Saltinho, cidade de 7 mil habitantes do interior de São Paulo.

O acusado, que confessou o crime e a motivação, foi levado a uma cadeia da região e está sendo mantido numa cela sob vigilância. A vítima, a publicitária Denise Stella, de 31 anos, estava desaparecida desde a noite de segunda-feira, 24, quando saiu de casa para jantar na casa de uma amiga e não retornou.

Amigas da jovem chegaram a postar o desaparecimento em redes sociais. O carro usado por Denise, que pertence à mãe dela, foi encontrado abandonado em um canavial do município.

Acionada, a Polícia Civil iniciou as investigações e chegou ao suspeito. Ele revelou onde havia deixado o corpo, em uma estrada de terra, próximo da Rodovia Cornélio Pires (SP-127). O corpo havia sido jogado em uma ribanceira.

Assassinato

À polícia, o gerente Cristiano Romualdo, de 39 anos, contou que mantinha um relacionamento secreto com a publicitária, de quem era chefe no trabalho. Há alguns dias, ela contou ter feito teste de gravidez com resultado positivo. Casado, ele passou a insistir para que ela fizesse um aborto, mas a mulher queria ter o bebê.

Na segunda, após jantar na casa da amiga, ela se encontrou com o amante. Depois de uma discussão, ele usou o cinto de segurança do carro para enforcá-la. Em seguida, deixou o corpo na estrada e abandonou o carro em outro local.

A notícia do crime causou revolta na cidade, onde a família de Denise é bastante conhecida. Quando a jovem desapareceu, o pai dela estava internado em um hospital e a mãe o acompanhava, por isso Denise ficou com o carro dela. Cristiano foi levado para depor na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Piracicaba, onde permanece preso.

O corpo da jovem também foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) dessa cidade e deve ser velado nesta quinta-feira, 27, em Saltinho.

Polícia Civil deflagra Operação Leste, em Natal, e prende oito pessoas

Compartilhe esse conteúdo

Uma investigação da 2ª Delegacia de Polícia de Natal resultou na deflagração da Operação Leste, na manhã desta quinta-feira (27), que cumpriu mandados de busca, apreensão e de prisão, resultando na prisão de oito pessoas, sendo sete homens e uma mulher. A ação policial foi realizada nos bairros de Brasília Teimosa, Rocas e Ribeira, na Zona Leste da capital.

A operação contou com o apoio de delegacias especializadas, delegacias municipais do interior do estado e com o trabalho da Polícia Militar (Batalhão de Choque, Canil) e do Centro Integrado de Operações Aéreas (CEIOPAER). 

As prisões referentes aos investigados começaram a ser efetivadas na tarde desta quarta-feira (26). Uma equipe formada por policiais civis da 4ª e da 2ª Delegacias de Polícia de Natal prendeu em flagrante Magno da Silva Inácio de Araújo e Fabiano Agostinho de Aguiar, pela prática do crime de tráfico de drogas. Os policiais apreenderam com a dupla maconha e dinheiro fracionado. Magno e Fabiano foram presos quando estavam no bairro da Ribeira, após a Polícia ter recebido denúncias anônimas sobre a prática do crime. Ambos foram autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico. A Polícia Civil também conseguiu identificar que Magno da Silva é suspeito de ter cometido um roubo em uma clínica do bairro Petrópolis, em março deste ano.

Na manhã desta quinta-feira (27), foram presas mais seis pessoas. Quatro foram detidas pela prática do crime de tráfico de drogas: Jerry Jairo, Valdenia Sharllene, Jefferson Martins e Josivan Ferreira. Felipe Roberto foi preso em flagrante pela prática do crime de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, ele estava com uma pistola calibre 380 com numeração raspada. Anderson Rodrigues foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva.

“Esta Operação de hoje é mais uma prova que estamos combatendo a criminalidade. Nós vamos continuar a realizar mais operações por determinação da secretária de segurança, Sheila Freitas, e sabemos que teremos êxito”, afirmou o delegado geral de Polícia Civil, Correia Junior.

Durante a Operação Leste também foram apreendidas drogas e dois rádios de comunicação HT. “Nossa equipe de investigação vai levantar o máximo de informações sobre a propriedade das drogas e dos equipamentos e poderemos em breve, estarmos instaurando mais inquéritos policiais”, destacou o delegado da 2ª DP, Elivaldo Jácome.

Acusado de matar agente de trânsito na PB está em isolamento no presídio

Compartilhe esse conteúdo

O acusado de atropelar e matar o agente de trânsito Diogo Nascimento, Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, está isolado em uma cela na Penitenciária Doutor Romeu Gonçalves Abrantes (PB1). Ele foi preso na segunda (24) e encaminhado para a unidade carcerária na terça-feira (25), após audiência de custódia. As informações são do Portal Correio

Em entrevista à Rádio Correio, o diretor do PB1, Lincoln Gomes, informou que Rodolpho passará 10 dias no isolamento, cuja cela possui dimensão de 23x4 metros. O procedimento é padrão para qualquer preso recém-chegado à unidade. Após esse período, a direção do presídio vai definir para qual cela o acusado será encaminhado.

“Rodolpho não receberá nenhum tipo de tratamento diferenciado. O PB1 é um presídio que não tem energia elétrica, televisão e ventilador nas celas. O PB1 só tem 10 minutos de água pela manhã e 10 minutos de água à tarde. A feira que poderá entrar para ele é a mesma permitida para outros presos. Então não tem como haver regalias”, garantiu o diretor da penitenciária.

Ainda conforme Lincoln Gomes, Rodolpho chegou ao PB1 aparentemente assustado e recebeu orientações sobre regras da unidade prisional. Em seguida, ele recebeu fardamento e cortou o cabelo, conforme determina o regulamento penitenciário.

Segundo o portal, a defesa de Rodolpho Carlos aguarda apreciação de um pedido de habeas corpus. A análise será feita pelo desembargador José Ricardo Porto. O Portal Correio tentou contato várias vezes com ele ao longo da manhã, mas as ligações não foram atendidas.

Diogo Nascimento foi atropelado na madrugada do dia 21 de janeiro quando trabalhava em uma operação da Lei Seca no Bessa, em João Pessoa. O acusado de atropelá-lo, Rodolpho Carlos, desobedeceu a ordem de parada e avançou um Porsche sobre o agente. A vítima chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, mas morreu no dia seguinte. A Justiça pediu que Rodolpho fosse preso, mas o desembargador Joás de Brito concedeu habeas corpus na madrugada do domingo (22/01), antes mesmo do suspeito ser detido.