Sejuc nega "salve" de facção para atacar policiais no RN 

Sejuc nega "salve" de facção para atacar policiais no RN 

Compartilhe esse conteúdo

5947d8eb1d41c80565e5e6d5.jpg

Policiais são alvos de criminosos do PCC

A Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc) negou na manhã desta segunda-feira (19) ter conheicmento sobre suposto "salve geral" para atcar policiais militares no Rio Grande do Norte. Segundo a Sejuc, há o "conhecimento que criminosos tentariam atacar as forças de segurança, mas quanto as ocorrências só as investigações poderão concluir quais as motivações". 

A motivação para a supsta onda de ataques contra PMs seria uma retaliação à operação deflagrada pelo Ministério Público do RN, na última sexta-feira. Batizada de "Juízo Final" a ação contou com apoio da Polícia Militar e buscou desbaratar ações de criminosos vinculados à facção paulista de dentro dos presídios potiguares.

A Operação Juízo Final buscou o cumprimento de 129 mandados de busca e apreensão, 21 mandados de prisão e 24 conduções coercitiva. As medidas foram cumpridas em 18 cidades do estado, 13 estabelecimentos prisionais estaduais e um presídio federal.

Neste domingo, dois policiais militares foram baleados em locais diferentes da capital: um na Zona Norte e outro na Zona Leste. As ocorrências são tratadas como tentativas de assaltos, mas o alerta permanece.

Com relação a rebeliões, a Sejuc informa que esse risco sempre existe, mas que os presídios potiguares estão sob controle do Estado. "Riscos de rebeliões sempre existem mas a SEJUC está preparada para conter qualquer tipo de desordem. Nas unidades prisionais do RN o comando é do estado."