Tecnologia pode auxiliar no desenvolvimento de Natal

Tecnologia pode auxiliar no desenvolvimento de Natal

Compartilhe esse conteúdo

598df9f78a8d3601c46c2fd6.jpg

Proposta da Rede Mundial de Cidades Inteligentes e Humanas inclui Natal para melhorar a vida das pessoas (Foto: Frankie Marcone)

Natal é a primeira cidade do mundo a receber a First IEEE International Summer School on Smart Cities (IEEE S3C), em tradução livre “Primeira Escola Internacional de Verão em Cidades Inteligentes”. O evento que teve o professor português Álvaro de Oliveira, da Aalto University (Finlândia), criador da Rede Mundial de Cidades Inteligentes e Humanas, como um dos participantes, discutiu sobre capacidade que a cidade tem de usar a tecnologia para melhorar a vida dos natalenses. O professor falou sobre como aplicativos de smartphone podem simplificar ações cotidianas, como a marcação de uma consulta médica a desenvolver um aplicativo eficiente para a mobilidade urbana, por exemplo.

Todas as palestras do evento, de 7 a 11 deste mês, foram em inglês. Álvaro de Oliveira que também é mestre em Engenharia Eletrônica pela Universidade de Lisboa e doutor em Telecomunicações pela University College London é uma das maiores autoridades no mundo em uso da tecnologia para melhoraria do bem-estar das pessoas.

A iniciativa do evento foi do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), em português, Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos, entidade sem fins lucrativos fundada nos EUA e considerada a maior organização profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia em beneficio da humanidade. Por uma semana, Natal foi palco da Summer School on Smart Cities, no Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e patrocínio do Google, entre outros.

A Summer School on Smart Cities discutiu assuntos do dia a dia que podem passar despercebidos mas que fazem parte dos anseios da população. Por exemplo, o professor Álvaro Oliveira disse estar atônito com a quantidade de horas que se perdem na fila de uma unidade se saúde para marcar uma simples consulta médica em Natal. O professor conta que desenvolveu há sete anos uma ferramenta para a prefeitura de Manaus, para o paciente marcar a consulta com um simples SMS de celular. Ele também conta que desenvolveu um aplicativo na Alemanha para a coleta seletiva do lixo para o usuário colocar o lixo nos dias certos para coleta, e assim, ganhar abatimento no IPTU do imóvel.

A tecnologia pode aprimorar a qualidade vida dos natalenses, segundo Álvaro de Oliveira. “Especialistas de todo o mundo estão a discutir aqui soluções inteligentes para melhorar a vida dos habitantes de Natal e de outras cidades. É fantástico que Natal tenha sido escolhida a primeira cidade do mundo para receber o evento, não foi Los Angeles nem Londres, mas Natal”, contou com entusiasmo o professor.

Parque pode abrir caminhos

Natal está no caminho para se tornar o berço de um parque tecnológico voltado para a Tecnologia da Informação, um projeto que envolve a academia e os setores público e privado como um ambiente propício para a difusão da ciência, tecnologia e inovação, além de contribuir para o desenvolvimento econômico e social da cidade, afirma o professor Álvaro de Oliveira.

Ele é um dos responsáveis por viabilizar que a IEEE Smart Cities Initiative organizou a IEEE International Summer School on Smart Cities (IEEE S3C) promovesse em Natal a edição 2017 da Summer School on Smart Cities em Natal, esta semana na UFRN.

A Edição 2017 da Summer School on Smart Cities foi a primeira de uma série de eventos sobre o tema e objetivou prover um fórum para troca de conhecimento entre indústria, comunidade científica e prefeituras em todos os campos de cidades inteligentes e humanas para beneficiar estudantes, pesquisadores e profissionais, tanto em nível iniciante, quanto avançado.

A discussão previu uma ampla gama de cursos e outras atividades conduzidas por pesquisadores e profissionais da área, além de realizar um workshop, onde estudantes de graduação e pós-graduação, jovens pesquisadores e profissionais puderam compartilhar suas próprias visões e experiências nas cidades.

Na Summer School on Smart Cities foram lançados desafios para que os participantes apresentassem soluções para os problemas propostos. No primeiro dia, foram apresentados desafios enfrentados por algumas cidades e formados grupos multidisciplinares de estudantes que utilizaram os conhecimentos compartilhados pelos palestrantes para desenvolver soluções conceituais para cada um dos desafios. A cada dia aconteceu uma reunião de orientação dos grupos com apoio dos palestrantes e as soluções desenvolvidas foram avaliadas e melhores propostas, premiadas na Sessão de Encerramento da IEEE S3C 2017 no último dia do evento.

“Destino brasileiro conhecido no mundo, Natal é uma cidade que combina clima tropical, belas praias de águas normas, natureza exuberante e povo acolhedor, sendo um dos melhores lugares para se aproveitar o litoral brasileiro uma vez que o sol brilha o ano inteiro. Mais ainda, Natal é também tecnologia: a cidade foi recentemente afiliada à IEEE Smart Cities Initiative, resultado dos avanços expressivos e forte engajamento entre academia e governo local”, afirmou o professor Oliveira, um amante da cidade.