Nina Souza quer deixar o PEN depois da chegada de Bolsonaro

Nina Souza quer deixar o PEN depois da chegada de Bolsonaro

Compartilhe esse conteúdo

598e308a8a8d3601c46c38f3.jpg

Nina Souza - vereadora e presidente municipal do PEN em Natal

A vereadora Nina Souza, presidente do Partido Ecológico Nacional (PEN) em Natal, anunciou que deixará a sigla. Motivo: o ingresso do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) na legenda. Nina Souza disse que, em Natal, o partido recebeu a notícia do ingresso de Bolsonaro com surpresa, não pelo ato em si, mas pelas mudanças ideológicas que os dirigentes nacionais começam a acatar como forma de adptar o partido à personalidade do pretenso candidato a presidente da República.

"Não houve reunião ou comunicado em relação a essa filiação. O partido tem uma filosofia e quem entra tem que se adequar. No caso dele é o inverso. Ele está vindo para mudar a filosofia, fazendo o partido sair de um posicionamento de centro para extrema direita. Se ele se faz a mola do partido, e quem não coaduna deve sair, então eu saio", declarou a parlamentar.

A vereadora diz que é contra o radicalismo e que discorda da maioria dos posicionamentos de Bolsonaro em relação aos diversos assuntos em debate no momento, de modo que não seria coerente defender o nome dele para a candidatura que almeja à Presidência em nome do PEN. "Sou completamente contra o radicalismo. Encaro o homossexualismo, por exemplo, com responsabilidade porque temos que respeitar a particularidade de cada um sem incentivar práticas de agressão", pontua.

"Acho que o respeito é fundamental e não coaduno com a linha de pensamento dele, por isso já estou iniciando os procedimentos para que possa sair do partido por justa causa", diz Nina Souza. Sem essa justificativa, ela poderia perder o mandato por infidelidade partidária. Nina declara ainda que, do seu ponto de vista, Bolsonaro não conhece os problemas a fundo e nem aponta soluções efetivas. "Eu venho acompanhando Bolsonaro e outros políticos e a gente vê que ficam no senso comum, sem aprofundamento. Eu particularmente não acredito muito na candidatura dele", enfatiza.